Tags: Obrigações | Europa |

Yields ainda mais negativas no leilão de bilhetes do tesouro


O mais recente leilão de bilhetes do tesouro a seis e a 12 meses fechou com o Estado Português a atingir o montante máximo desejado, 1.500 milhões de euros. No que diz respeito às taxas de juro médias, estas foram ainda mais baixas relativamente ao último leilão comparável.

Marisa Cabrita, gestora de ativos da Orey Financial, destaca que “a emissão de ontem registou uma queda das yields exigidas pelos investidores e um aumento dos montantes colocados”. Assim, no prazo mais curto registou-se uma redução da taxa de juro, passando de -0,158% para -0,210%. No prazo mais longo a situação foi idêntica, fixando-se nos -0,153%, mais baixa face aos -0,112% registados no leilão anterior.

Para a gestora, “em ambos os prazos as yields exigidas foram as mínimas de sempre, com bids-to-cover considerados robustos”, um contexto positivo para o qual contribuíram “os progressos em termos orçamentais reportados e a estabilização económica”, acrescenta.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas