Volume sob gestão no 'private banking' supera 500 mil milhões de reais


Entre 2011 e 2012 observa-se o aumento do volume médio de recursos por cliente de 8,7 para 10,8 milhões de reais e uma ligeira queda no número de clientes (-3,6%), o que parece explicitar uma redefinição, pelo mercado, do tipo de cliente com classificação de 'private'. Regionalmente, o volume de recursos concentra-se no Sudeste (79,4%), embora a maior taxa de crescimento registada tenha sido no Nordeste Brasileiro.

A distribuição de recursos, genericamente, reflecte um movimento em direcção a alternativos menos conservadores e com maior risco, mas que oferecem retornos mais elevados. Dos recursos aplicados directamente em obrigações, em relação ao total de activos, a percentagem reduziu de 36,7% em 2011 para 31,5% em 2012, enquanto que a de acções subiu de 14,5% para 15,8%. Em fundos de investimento, a parcela investida concentra-se sobretudo nos fundos multimercados e, em relação ao total de activos, aumentou de 43% em 2011 para 46% no ano passado.

As aplicações em regimes complementares de apoio à reforma, os  fundos "Previdência Aberta", continuam em forte expansão devido a uma maior preocupação relativamente à gestão do património e constituem uma resposta dos investidores ao cenário de redução das taxas de juro. Estas aplicação cresceram 44,6% relativamente a 2011, de acordo com a informação publicada no Boletim ANBIMA.

Notícias relacionadas

O Mais Lido