Tags: Negócio |

Volume global de ativos sob gestão na GNB GA superou os 14 mil milhões de euros


O banco criado em agosto de 2014 já deu a conhecer as suas contas relativas ao ano passado, com a componente de Gestão de Ativos a ser referenciada no documento. Segundo o Relatório & Contas de 2015, o segmento de gestão de ativos apresentava um volume global de ativos sob gestão superior a 14 mil milhões de euros.

Alocac_ao_FIM_GNB_15_1Nos segmento de fundos mobiliários, no final do ano passado o valor sob gestão era superior a 1,7 mil milhões de euros em Portugal. No mercado doméstico houve uma redução nos ativos sob gestão, devido a uma “diminuição generalizada nos volumes dos fundos e da liquidação de um conjunto de fundos de  duração limitada”. No caso da redução dos ativos sob gestão, destaque para o “decréscimo  em  três fundos,  o  NB  Liquidez,  o  NB  Plano  Dinâmico  o  NB  Tesouraria  Ativa,  que  no  seu  conjunto,  representaram cerca de 78% do total da redução dos volumes”. Já os Fundos NB Rendimento Fixo  (IV,  VII  e  IX)  e  Sporting  Portugal  Fund foram liquidados.

Já nos fundos sediados no Luxemburgo, o valor sob gestão no final do ano ascendia a 530 milhões de euros enquanto que no mercado espanhol se fixou em 848 milhões de euros.

Fundos imobiliários em linha com a tendência nacional

O segmento imobiliário em Portugal, ao longo dos últimos tempos, tem sofrido quebras nos seus ativos sob gestão. A GNB Gestão de Ativos não foge à regra, e no ano passado o seu segmento imobiliário recuou cerca de 18% para 1,3 mil milhões de euros. No Relatório & Contas o destaque para esta redução, “deveu-se, entre outros, ao nível de resgates ocorridos nos Fundos NB Património (-35%) e NB Logística (-34%)”. Nos Fundos de Gestão do Património Imobiliário – conhecidos como FUNGEPI – a gestora tinha na sua posse 3 produtos ”que no seu conjunto representavam um volume global líquido de cerca de 613 milhões de euros.

Gestão de Património em alta

No que toca ao segmento de Gestão Discricionária, verificamos o único aumento dentro da categoria da Gestão de Ativos. Os dados comunicados mostram que “o serviço de gestão discricionária engloba a prestação de serviços a clientes particulares e institucionais, a nível nacional e internacional, nomeadamente gestão financeira de ativos de seguradoras, de patrimónios de fundos de pensões e outras entidades, totalizando no final de 2015 um volume global de 7,6 mil milhões de euros”.

Esse valor representa um crescimento de 175% face ao final de 2014, com esse aumento a ter origem na “passagem para a gestão da sociedade de um conjunto de carteiras da GNB Seguros Vida (algumas das quais já tinham sido geridas pela GNB GP até meados de 2014), representando estas 75% dos volumes sob gestão no final de 2015”.

Fundos de Pensões ‘estáveis’

De todos os segmento, o que engloba os fundos de pensões foi o mais estável ao longo de todo o ano passado. Nesta área, os ativos sob gestão atingiram cerca de 2,2 mil milhões de euros, com a esmagadora maioria – 2,1 mil milhões – a dizerem respeito a fundos nacionais. Face ao ano anterior, este valor é mais baixo em 0,8%. Segundo a entidade, esta redução “resulta, nomeadamente, da transferência da gestão para outras entidades fora do Grupo NOVO BANCO de 3 fundos de pensões fechados e planos de pensões adesões coletivas e/ou individuais, as quais, no entanto, foram compensadas por via de contribuições para financiamento de fundos sob gestão”.

Ativos sob gestão por segmento

Graf_GNB_TOTAL

Fonte: Relatório & Contas 2015. Valores em milhões de euros.

Comissões perto dos 400 milhões de euros

No que diz respeito às comissões da atividade do Novo Banco, o ano de 2015 ‘rendeu’ mais de 392 milhões de euros. Grande parte desse valor – mais de 223 milhões de euros – resultam dos serviços bancários prestados, com as ‘garantias prestadas’ a superarem os 100 milhões de euros.

Já as comissões na Gestão de Ativos – que inclui fundos de investimento e gestão de carteiras – situaram-se em 55,1 milhões de euros.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido