Valor sob gestão dos fundos mobiliários nacionais caiu quase 1% no último ano


A face mais dura dos últimos três meses do ano parece refletir-se no montante sob gestão dos fundos mobiliários nacionais. Esta é uma das conclusões do relatório trimestral publicado pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, no qual os dados apontam para uma deterioração trimestral de 3% do valor gerido pelos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários e organismos de investimento alternativo. De facto, enquanto que no final do sexto mês do ano o montante ascendia a 12.193,8 milhões de euros, no mês de setembro este fixou-se nos 11.829,9 milhões de euros. Este valor representa, por outro lado, uma queda de 0,9% em comparação com o final do mesmo período do ano passado.

Captura_de_ecra__2018-11-06__a_s_12

Fonte: CMVM

Outro dos pontos a destacar é a redução do número de veículos de investimento mobiliário nacional no último ano: enquanto que no final de setembro de 2017 o número total de fundos ascendia a 161, atualmente existem apenas 150 produtos em atividade. No terceiro trimestre do ano foram, inclusive, liquidados três produtos, o Santander Ibérico Maio 2013 e o Santander Ibérico Premium Julho 2013, dois fundos de investimento alternativo geridos pela Santander Asset Management, e o fundo de investimento em obrigações gerido pela Popular Gestão de Ativos, o Popular Euro Obrigações.

Evolução das diferentes categorias no último ano

Olhando para o valor sob gestão de cada categoria de fundo concluímos que os fundos de investimento alternativo foram a categoria que mais contribuiu para a deterioração do montante global sob gestão dos fundos mobiliários nacionais. De facto, verifica-se uma queda de 43,3% no valor sob gestão desta categoria no último ano, descendo de 1.427,2 milhões de euros para 808,7 milhões de euros no final de setembro deste ano. Nas restantes categorias, por outro lado, verifica-se que a grande maioria viu o seu valor sob gestão crescer, à exceção da categoria de fundos do mercado monetário, cujo montante caiu 10% no último ano para 150,5 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2018-11-06__a_s_12

Fonte: CMVM

Notícias relacionadas

O Mais Lido