Tags: Negócio |

Valor das ordens sobre instrumentos sobe em janeiro


O primeiro mês do ano terminou com o valor das ordens sobre instrumentos financeiros superior a 8.000 milhões de euros. De acordo com os dados divulgados pela Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, este montante ascendeu a 8.009,5 milhões de euros, o que representa um crescimento de 37% face ao mês de dezembro. Ainda assim, em comparação com janeiro de 2017 verificou-se uma queda de 22,9%.

Verificou-se, por outro lado, um crescimento do valor mensal em todos os segmentos, embora mais significativo no segmento de dívida privada, onde se verificou um aumento de 93% para um total de 1.372,9 milhões de euros. Por outro lado, o segmento de dívida pública foi o segmento que maior preponderância apresentou, que, com um valor de 4.294,7 milhões de euros, representou mais de metade do total. Já nas ordens relativas a ações, o valor cresceu 8% para 1.748,1 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2018-02-22__a_s_10

Fonte: CMVM, janeiro de 2018

No que diz respeito ao valor das ordens sobre instrumentos financeiros derivados verificou-se uma queda de 38,6%, tendo-se fixado nos 7.801,3 milhões de euros. Os CFDs, por sua vez, foram novamente o instrumento financeiro derivado mais negociado, embora tenham registado uma queda de 8,9% para um valor total de 6.041,4 milhões de euros. Do lado dos futuros verificou-se uma queda de 78% no valor mensal para 1.256,4 milhões de euros.

Captura_de_ecra__2018-02-22__a_s_11

Fonte: CMVM, janeiro de 2018

Quanto ao valor das ordens de residentes, este cresceu 27,2% face ao mês passado. Já o crescimento do valor das ordens de não residentes foi de 52,6%.

Os Estados Unidos, França e Espanha foram os principais destinos das ordens executadas sobre ações fora de Portugal, enquanto que o Reino Unido, Estados Unidos e Alemanha foram o principal destino das ordens sobre os títulos de dívida.

Notícias relacionadas