Último ano positivo nos fundos flexíveis


No final de setembro, os dezasseis fundos flexíveis existentes no mercado nacional, segundo dados da APFIPP, tinham mais de 800 milhões de euros em ativos sob gestão, e registavam uma rendibilidade média nos últimos doze meses de 5,19%, de acordo com informação disponibilizada pela Morningstar.

Entre estes fundos, salientam-se dois que tinham, no final do mês passado, mais de 200 milhões de euros sob gestão: o ES Plano Dinâmico da ESAF e o Santander Global da Santander Asset Management.

Segundo a sua definição, estes produtos não “assumem qualquer compromisso quanto à composição do património nos respectivos documentos constitutivos”. Desta forma é possível encontrar produtos que investem em mercados diferentes e de forma distinta. Analisando os fundos que compõem esta categoria, verificamos que a diversificação do investimento é claramente a característica que melhor define os fundos flexíveis.

Nos últimos doze meses há apenas um produto que apresenta uma rendibilidade de dois dígitos. Trata-se do ES Plano Dinâmico da ESAF, gerido por Susana Vicente. No último ano, o produto regista uma subida de 12,13%, sendo que nos últimos dois anos a sua rendibilidade anualizada é de 10,39%. No final de setembro, a carteira era composta maioritariamente por obrigações (58,59%), estando os restantes 30,46% alocados a ações.

Nas duas posições seguintes, surgem produtos geridos pela Banif Gestão de Activos. Com uma rendibilidade de 9,2% figura o Banif Investimento Moderado, seguido do Banif Investimento Conservador com ganhos de 7,93%. Nas maiores posições do primeiro produto podemos encontrar outros fundos de investimento como é o caso do Banif Euro Acções, Schroder ISF Japanese Equity ou o Franklin Mutual Beacon; já no segundo produto as maiores exposições encontram-se em dívida pública de países como Itália, Bélgica ou Espanha.

Top 5 acima de 7%

Além destes produtos, existem mais dois que conseguem alcançar rendibilidades acima de 7%: ES Plano Crescimento da ESAF e ainda o Banif Ibéria, da Banif Gestão de Activos.

O fundo da ESAF fecha o período de análise com um aumento de 7,31% enquanto o produto da Banif Gestão de Activos atinge os 7,22%. Em termos de exposição da carteira, os produtos são bastantes distintos. O fundo da ESAF tem como maiores posições a exposição a outros fundos, seja da própria casa ou de entidades internacionais; já o produto da Banif Gestão de Activos tem cotadas portuguesas na linha da frente, como é o caso da Galp Energia, Semana ou Mota-Engil.

Os fundos flexíveis no último ano

FundoEstrelas MorningstarGestoraRendibilidade 1 ano (%)Volatilidade 1 ano (%)Sharpe 1 ano
ES Plano Dinâmico2ESAF12,1374,7982,383
Banif Investimento Moderado3Banif Gestão de Activos9,2092,4823,505
Banif Investimento Conservador4Banif Gestão de Activos7,9381,5844,759
ES Plano Crescimento5ESAF7,3143,4512,014
Banif Ibéria Banif Gestão de Activos7,2264,1811,650
ES Plano Prudente4ESAF6,2632,3322,546
ES Estratégia Activa II3ESAF5,9072,7672,028
ES Estratégia Activa3ESAF5,7312,3412,321
Santander Global2Santander Asset Management5,6642,0572,609
BBVA Gestão Flexível4BBVA Gest5,4064,8291,078
BPI Global2BPI Gestão de Activos5,2521,6443,023
Montepio Mercados Emergentes1Montepio Gestão de Activos4,5238,435-0,185
ES Dynaflex3ESAF3,7332,4201,455
BBVA Multiactivo Flexível3BBVA Gest1,7192,6900,581
BPI Brasil BPI Gestão de Activos0,97617,870-0,223
ES Brasil ESAF-5,94816,555-0,614
Análise Funds People a partir dos dados disponibilizados pela Morningstar a 30 de setembro
Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido