Tags: Ações |

“Tudo deveria ser feito o mais simples possível, mas não mais simples”


O PPR SGF Stoik Ações é um fundo desenvolvido por Luís Lobo Jordão na entidade gestora de fundos de pensões SGF. Constituído por uma carteira balanceada igualmente entre obrigações e ações, segue uma abordagem global, com uma exposição aos mercados mundiais e diversificada por classes de ativos, países e sectores. Em entrevista à Funds People, o gestor destacou a filosofia que permitiu que este fundo ocupasse o primeiro lugar por rentabilidade ao longo do último ano, segundo dados da APFIPP. “O fundo segue a filosofia de investimentos comum aos projetos com marca Stoik, com um foco na construção e manutenção de um processo robusto de investimento, que nos prepara para o que o mercado lançar no nosso caminho”, introduz. Para isto, o gestor segue um processo de investimento sistemático, baseado em regras de forma disciplinada e rigorosa e com um enfoque no longo prazo o que faz com que seja “imune aos enviesamentos emocionais”.

“O foco de valor está claramente numa seleção de empresas para o longo prazo. Queremos comprar grandes negócios a preços aceitáveis e mantê-los em carteira. Este investimento, conjugado com a estabilidade e descorrelação propiciada por obrigações, imobiliário e matérias-primas, permite atenuar as naturais oscilações do mercado acionista, que nem todos os investidores conseguem suportar”, explica Luís Lobo Jordão. 

A singularidade da abordagem

 “O principal elemento diferenciador do PPR é o investimento direto em empresas líderes nos sectores em que operam. Falamos de organizações com elevado retorno do capital, estrutura financeira sólida e resilientes nas diversas fases do ciclo”, introduz o profissional. Já no que se refere ao processo de seleção, recorre a nomes como Warren Buffett, Charlie Munger e Peter Lynch, investidores cujas filosofias vão ao encontro da filosofia que suporta o projeto STOIK. “O objetivo é selecionar um tipo de empresas de grande qualidade com vantagens competitivas sólidas, o chamado ‘moat’. É importante também que os investidores do PPR conheçam estas empresas e que estas sejam líderes nos seus setores. Conseguimos assim um portfolio concentrado de empresas selecionadas pelas suas características fundamentais e não simplesmente pela sua capitalização bolsista”.

Na linha da filosofia de investimento da Stoik é construído um portfolio concentrado (20 a 30 títulos), mas diversificado sectorialmente e por país/moeda, com um active share e tracking error significativos. “A nossa abordagem no SGF PPR Stoik Ações, é norteada tendo por base alguns princípios de Warren Buffett: ‘Only buy something that you'd be perfectly happy to hold if the market shut down for 10 years’. Acreditamos em implementar verdadeiras soluções diferenciadoras e não aplicar estratégias que se intitulam de gestão ativa, mas têm tracking errors que chegam a ser inferiores ao próprio comissionamento do fundo, como infelizmente acontece em muitos produtos”, comenta. Para o profissional, a utilização de uma estratégia direta de ações com baixa rotação reduz significativamente os custos de implementação que, em conjunto com uma alocação estável a ETFs para as restantes classes de ativos, “faz com que este PPR seja dos fundos com menores custos do mercado”.

Relativamente ao posicionamento, o gestor é categórico ao afirmar que aposta na estratégia mais simples e eficaz que conhece, após muitos anos de mercados financeiros. “Como Markovitz, o pai da Fronteira Eficiente, disse - apesar de todas as possíveis aplicações de otimizações de risco e retorno, um portfolio 50% ações / 50% obrigações vai minimizar o arrependimento a longo prazo - de não estar investido em ações quando o mercado sobe e de estar investindo em ações quando o mercado desce. Outras inspirações para este mix de investimento são Ben Graham, “pai” do CFA, autor do “Intelligent Investor” e professor de Warren Buffett, bem como Ray Dalio e o seu “All Weather” da Bridgewater. Assim, vamos manter esta estratégia balanceada, simples e eficaz, mantendo as nossas leituras das fases os ciclos de modo a poder proceder a ajustes táticos, mas que serão sempre muito limitados”.

Em termos de visão de mercado, o que faz passa por implementar diversos sistemas para impedir reações, a todo o momento, aos eventos que, naturalmente, vão acontecendo nos mercados. “Assim, retiramos hipóteses de reação ao ruído e mantemos o foco nos verdadeiros sinais. O principal é evitar um erro que vi ser cometido frequentemente, que é confundir atividade e argumentação com decisão e geração de valor. O sistema implementado implica uma direção e essa direção, no longo prazo, tende a gerar frutos”, explica o gestor, recorrendo a uma afirmação ilustrativa de Albert Einstein: “Everything should be made as simple as possible, but not simpler”

Impacto social

“Este é outro elemento diferenciador no mercado dos fundos de investimento e PPRs. Implementámos uma componente de impacto, que intitulámos de WeShareAShare. Para além de incorporarmos indicadores ESG na análise dos títulos investíveis, também aplicamos parte das comissões geradas pelo fundo em projetos de impacto. Neste momento, estamos a contribuir para o ambiente com o apoio à entidade de crowdlending Goparity, que está a implementar projetos fotovoltaicos recorrendo e remunerando investidores colaborativos.  Da nossa experiência de investimento, é perfeitamente possível obter retornos melhores ao mesmo tempo que se tem considerações de sustentabilidade. Desejamos apoiar todos os projetos que o demonstrem fazer também”, declara Luís Lobo Jordão.

Mas o impacto social não fica pela constituição da carteira do PPR. Luís Lobo Jordão e a SGF apostam significativamente na promoção da literacia financeira, procurando apoiar as pessoas a tomar melhores decisões olhando para a sua poupança e investimento de modo agregado. “No caso do PPR em particular, consideramos que pode ser um excelente instrumento de poupança para várias outras funções que não apenas a reforma.  Por isso, tentamos mostrar que a estrutura tem grandes vantagens, mesmo para quem quer, por exemplo, fazer uma poupança a 10-20 anos para os seus filhos. Se não utilizar o benefício de dedução à coleta de IRS, o PPR pode ser resgatado sem penalizações antes da idade da reforma, mas sempre com uma diminuição das taxas de retenção de IRS à saída”, explica. “Na medida em que se podem alcançar remunerações muito mais interessantes do que as de depósitos a prazo fruto de alocações aos mercados de capitais e ainda obter benefícios fiscais, por diminuição da taxa de IRS no resgate, temos um instrumento superior tanto face aos ativos mais conservadores como face aos tradicionais fundos de investimento”, conclui. 

Profissionais

Notícias relacionadas

Próximos eventos