Tags: Negócio |

Três maiores gestoras nacionais representam três quartos do mercado


De acordo com a CMVM, no final do ano passado, os fundos mobiliários nacionais totalizavam mais de 11.100 milhões de euros em ativos sob gestão, com o regulador a dividir o mercado entre os organismos de investimento coletivo em valores mobiliários (OICVM) e fundos de investimento alternativo (FIA). Os primeiros fecharam o ano com um património sob gestão superior a 8.744,6 milhões de euros e os segundos com um montante sob gestão de 2.356,1 milhões de euros.

De todas as sociedades nacionais que gerem fundos mobiliários, aquela que apresenta a maior quota de mercado é a Caixagest. Com um património sob gestão superior a 3.519 milhões de euros, o que representa uma quota de mercado de 31,7%. A Caixagest tem sob a sua alçada 28 produtos de investimento, das mais diversas classes de ativos. O maior é o Caixagest Liquidez que é, também, o maior fundo de investimento mobiliário sediado em Portugal. No final de dezembro, o seu património superava os 1.110 milhões de euros.

Com um valor pouco superior a 3.000 milhões de euros em património, que equivale a uma quota de mercado de 27,5%, vem a BPI Gestão de Activos. Foi a entidade que mais cresceu ao longo do passado, tendo crescido mais de 200 milhões de euros. Entre os 25 fundos que gere, o maior é o BPI Liquidez, que fechou o ano passado com um montante sob gestão supeior a 950 milhões de euros.

A terceira maior entidade sediada em solo português é a IM Gestão de Ativos. No final do ano passado a entidade tinha no seu portefólio 18 produtos que geriam um montante 1.635 milhões de euros, representando uma quota de mercado de 15,1%. Aqui, o maior fundo gere 518 milhões de euros e denomina-se de IMGA Prestige Conservador.

Estas três entidade representam o mercado em praticamente 75%, ou seja, quase três quartos do montante mobiliário gerido em Portugal.

As maiores entidades mobiliárias nacionais

Maiores_gestoras_pt_2016

Fonte: CMVM no final de dezembro

Empresas