Tendência de substituição de produtos de maior por menor risco em inversão


A tendência verificada nos particulares de substituir produtos de maior risco por outros de menor, nomeadamente em 2011 e grande parte do ano passado, está em inversão, realça o “Overview do sistema bancário português”, de Abril, divulgado pela Associação Portuguesa de Bancos (APB).

Analisando o período desde final de 2010 é visível que o crescimento dos depósitos dos particulares coincide com uma diminuição das suas unidades de participação em fundos de investimentos. “Esta tendência expõe um efeito de substituição entre produtos de investimento e poupança com diferentes perfis de risco, revelando uma maior preferência por activos cujo nível de risco é mais reduzido. No entanto, esta propensão começou já a mostrar sinais de reversão”, é referido no documento divulgado pela APB.

A inversão começou sobretudo a notar-se nos últimos meses de 2012 e os dados do final do ano do Banco de Portugal comprovam esse movimento. O boletim estatístico, de Abril, no capítulo dos patrimónios financeiros, mostra que os particulares detinham 12.578 milhões de euros em unidades de participação em fundos de investimento, o que representa um crescimento face aos 12.190 milhões de final de 2011 (em 2010 eram de 16.122 milhões). Quanto aos depósitos (transferíveis e outros depósitos), o montante era de 150.120 milhões de euros no final do ano passado, em decréscimo face ao valor de 152.497 milhões em 2011 (em 2010 eram 143.918 milhões), de acordo com o boletim estatístico do Banco de Portugal.

Notícias relacionadas

O Mais Lido