Tags: Consultoria |

“Temos de ter uma atitude mais favorável perante o empreendedorismo e o risco”


“Precisamos de consumir menos e poupar mais, aplicar bem as poupanças, precisamos de ter os agentes económicos em geral menos endividados e ter mais capitais próprios”, afirma Raul Marques, presidente da APAF, em entrevista à Funds People Portugal.
Num contexto em que os bancos, que enfrentam dificuldades de financiamento, “vão ter limitações em aumentar o crédito ao ritmo, ou sequer algo parecido, do que se verificou na última década”, torna-se essencial, destaca, “haver uma atitude diferente perante o empreendedorismo e o risco” por parte da sociedade  como um todo. “Temos de ter uma atitude mais favorável, que não temos; Portugal ainda continua a ser nesse aspecto um país muito conservador”, afirma Raul Marques.
Além disso, o presidente da APAF alerta ainda para a importância que “a desintermediação financeira funcione de forma mais efectiva”, tendo em conta que a intermediação financeira, através dos bancos, “não vai poder crescer muito nos próximos anos”.
Neste âmbito destaca a recente listagem da ISA em bolsa – a primeira empresa portuguesa admitida no mercado Alternext -, assim como as emissões de obrigações de empresas de grande dimensão colocadas junto de investidores privados. “Quero acreditar que seja uma série de sinais que vão no sentido de haver formas alternativas de os emitentes se financiarem no mercado de capitais, de irem buscar poupança”, sublinhou.