SGF termina 2019 com resultado líquido positivo e o “maior volume de negócio” em PPR


“O  ano de 2019 foi um ano que marcará certamente a história da SGF”. Este não podia ser melhor “prólogo” para relatar as contas referentes ao ano que passou da entidade gestora de pensões, que precisamente em 2019 viu a Golden Wealth Management assumir uma posição maioritária na sua estrutura acionista, tendo ainda mais no final do ano surgido no mercado com um novo posicionamento.

Estes são acontecimentos espelhados pela instituição no seu Relatório e Contas de 2019, onde explica que “houve a necessidade de fazer um plano de atualização ao negócio e à imagem da empresa, incutindo os valores de dinamismo, experiência e rigor, simplificação da oferta e um modernizar da imagem”.

Maior volume de negócio

Com uma dinâmica comercial muito elevada, como os próprios apelidam, os PPR “representaram o maior volume de negócio na ordem de 6,8 milhões de euros de subscrições”. Os fundos de pensões, por sua vez, receberam subscrições de 3,7 milhões de euros, o que, contas feitas, resultou em captações de cerca de 10,5 milhões de euros para a entidade.

A reorganização da oferta nos PPR, contam também, “permitiu reforçar a componente da gestão da poupança”, com o leque de soluções a ostentar a palavra “Poupança” “como forma de promover os múltiplos objetivos que as mesmas podem satisfazer, com vantagens acrescidas em matéria de eficiência fiscal”.  Nos Fundos de Pensões Abertos, por seu turno, foi a palavra “Reforma” a utilizada, “reforçando o objetivo específico dos mesmos”.

Em termos regulatórios, o ano de 2019 também introduziu boas possibilidades para a gestora. Da SGF não deixam passar “a grande novidade introduzida pelo Orçamento de Estado de 2019 para os Fundos de Pensões Abertos, possibilitando a isenção do imposto das mais valias imobiliárias da venda de habitação própria e permanente dos proprietários com 65 anos ou reformados através do investimento em adesões individuais”.  Neste campo, recordam, “a SGF foi pioneira na concretização de um contrato neste âmbito esperando em 2020 desenvolver este segmento de negócio”.

Em continuação, apresentamos os ativos sob gestão e os resultados, dos produtos geridos pela SGF:

Ativos sob gestão

Captura_de_ecra__2020-07-27__a_s_11

Captura_de_ecra__2020-07-27__a_s_11

Captura_de_ecra__2020-07-27__a_s_11

 

 

Resultado líquido melhora

O ano de 2019 marcou também uma melhoria no resultado líquido da entidade, que se fixou nos €17.515,52, algo que, como a entidade salienta, “não ocorria há alguns exercícios”. Entre outros pontos, a sociedade gestora destaca para este resultado, a relevância do aumento das comissões de gestão, a redução da provisão do PPR SGF Poupança Garantida, ou o aumento do justo valor da carteira própria.

Apesar de 2019 não ter dado pistas para o que 2020 traria, a SGF, neste documento, não quis deixar de endereçar algumas palavras sobre a atual pandemia. “Um novo desafio”, dizem, “cujo impacto ao nível da poupança e das pensões é uma realidade”, e que “exigirá da SGF um esforço suplementar ao nível da gestão dos seus ativos no sentido de minimizar as consequências negativas de uma possível desvalorização dos instrumentos utilizados”.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido