Tags: Negócio |

Será suficientemente satisfatória a ‘Prenda de Natal’ do BCE?


Com pouca cooperação em termos de política fiscal entre os governos Europeus, cabe ao Banco Central carregar com o fardo de agir e fornecer mais estímulos para tentar promover o surgimento de pressões inflacionistas , posto isto:

O BCE foi de encontro a um mercado que estava muito curto de Euros e demasiado longo de Dólares, mantendo a taxa de juro, mas descendo a taxa de depósito no BCE em 10 pb, para -0.30 %, estendendo o seu programa de compra de ativos por mais seis meses, aumentando também o espectro de activos elegíveis.

Com os bancos a terem que pagar mais para depositar junto do BCE e tendo acesso a mais dinheiro, por mais tempo, será que isso vai estimular o consumo? Duvido.

Os bancos não podem atribuir juros negativos ás contas dos seus clientes, poderá aumentar as comissões que cobra por manter a conta, mas não pode atribuir valores negativos aos juros do dinheiro depositado junto de si.

Será ou não suficiente esta prenda de Natal do BCE? Duvido.

(ImagemEuropean Parliament, Flickr, Creative Commons)