Setores da saúde e tecnologia foram as grandes apostas dos investidores em abril


Se pudéssemos resumir o mês de abril numa só palavra, esta seria recuperação. Após toda a avalanche de quedas verificada em março, os mercados, em particular o acionista, iniciaram o caminho para o regresso ao terreno positivo. Rui Castro Pacheco, diretor-adjunto do Banco Best, e Tiago Gaspar, responsável pela Análise e Seleção de fundos do Banco Carregosa, analisam o mês e revelam em que setores apostaram os seus clientes.

Tiago Gaspar começa por contar que “tendo o mês de abril sido de fortes recuperações, em especial no mercado acionista, observámos os clientes a reforçar alguns temas que já tínhamos comentado em meses anteriores”. O profissional explica que “na esfera das ações, o setor da saúde e da tecnologia foram privilegiados. Um aspeto transversal aos vários fundos de ações é o estilo de investimento em empresas de qualidade”.

No Banco Best foi verificada a mesma tendência, já que as temáticas de investimento preferidas dos clientes da entidade foram precisamente as mesmas: tecnologia a saúde. “O tema da tecnologia continua em foco com quatro presenças no top. Se alguns clientes preferiram uma versão mais específica a incidir sobre a robótica, com o fundo Pictet Robotics, e outros uma vertente virada para os EUA, com o JPMorgan US Technology, encontramos dois fundos um pouco mais generalistas, os BlackRock World Technology e o Franklin Technology”, explica Rui Castro Pacheco. Contudo, também se verificam subscrições nos setores da água e energia.

Segundo conta o diretor-adjunto do Banco Best, em termos de geografias, a Europa continua também a merecer a confiança dos seus clientes com duas presenças no top. A preferência dos investidores da entidade “continua a ir para o MFS European Value, que segue uma procura de empresas com boas valorizações (Value) e forte potencial de crescimento, bem como para o Fidelity European Dynamic Growth, um fundo que procura as empresas com um estilo virado para o crescimento dos seus negócios (Growth)”.

As exceções

Não foi só de fundos de ações que se fez o mês de abril. Do lado do Banco Best, a exceção foi um fundo que é uma presença habitual nesta análise mensal, o Acatis Gané Value Event.

No caso do Banco Carregosa, Tiago Gaspar conta que “também não é surpresa que alguns fundos de obrigações investment grade surjam no top 10 dado que a incerteza permanece muito elevada relativa a duas forças dominantes: expansão do balanço dos bancos centrais vs. impacto macro do surto”.

__subscritos_abril_2020

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido