Sector da tecnologia lidera resgates


Com a “tempestade coronavírus” a assolar os mercados, os bancos centrais viram-se obrigados a implementar fortes medidas de suporte à economia com cortes de taxas de juro e pacotes de estímulos.A FED reduziu drasticamente a taxa de referência, o BCE lançou um programa de compra de ativos de 750 mil milhões de euros e o Banco de Inglaterra reduziu a taxa de juro para um mínimo histórico de 0,1%, adicionando 200 mil milhões de Libras ao seu programa de compra de ativos”, começa por explicar Bruno Pinhão, gestor de Produto – Investimentos do ActivoBank.

Devido à turbulência sentida, o mês de março contou com um volume elevado de resgates. “Naturalmente que a aversão ao risco fez com que no mês de março em que os resgates fossem superiores às subscrições”, revela Tiago Gaspar, responsável de Análise e Seleção do Banco Carregosa. O profissional explica que “fundos quem investem em empresas tecnológicas lideraram os resgates - todavia o desempenho do sector foi bastante positivo no contexto geral de mercado”. Também os clientes do ActivoBank optaram por terminar exposição a setores como a tecnologia e biotecnologia. Além disso, “o ouro, visto como um ativo de refúgio, perdeu, perante os investidores do ActivoBank, o seu brilho e esteve no top dos mais resgatados”, comenta Bruno Pinhão. Em ambos os bancos foi registada a realização de mais-valias nos mercados emergentes.

“Nos fundos mais vendidos, ao contrário de que poderia ser intuitivo num mês de correções mais visíveis nos mercados acionistas, encontramos sobretudo fundos de obrigações flexíveis e fundos multi-ativos mais defensivos”, conta Rui Castro Pacheco, diretor-adjunto do Banco Best. Nas palavras do profissional, uma possível explicação para os resgates mais concentrados em estratégias relativamente mais conservadoras é o facto “de os clientes investidos neste tipo de fundos tenham menos tolerância a sofrer perdas pontuais e este momento muito particular levou realmente este tipo de fundos a sofrer perdas numa dimensão superior ao que seria de esperar em momentos de mercado mais normais”.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas