Tags: Negócio |

Run, ___________ , run!


Quando a exclamação “run, Forrest, run” começou a correr o mundo, correr ainda não era uma moda. Hoje é. Não sabemos se Tom Hanks se converteu às corridas desde que encarnou o personagem Forrest Gump, no filme com o mesmo nome, de 1994, mas em Portugal o número de “Forrests” que correm parece não parar de aumentar.

Claro que nem toda a gente aprecia “queimar” quilómetros pelas estradas, parques, jardins e passeios, em passo de corrida. Há os que preferem o ‘jogging’ ou caminhada e, entre os que correm, as motivações também são diferentes; corre-se por questões de saúde, para ajudar a manter a forma física, para competir e por gosto (e sim, mesmo assim cansa, e é suposto).

Eu, corredora me confesso, de distâncias médias, de treinos irregulares, de provas em que a participação é mais pelo divertimento e pelo desafio, num ritmo pautado sobretudo pelo gosto e pelo bem que faz.

Há uma outra característica na corrida que me agrada, o facto de ser um dos desportos mais ‘democráticos’; não requer equipamento caro, aluguer de um espaço específico, treinador, não precisamos de estar na cidade ou no campo, não tem limitações de horário e nem as condições climatéricas são impedimento.

Tendo dito isto, agora que os dias são cada vez maiores e o tempo está a melhor, começam a surgir várias provas e as condições para treinar também se tornam mais confortáveis. Portanto, qualquer seja a motivação, é uma boa altura para (re)começar.

Voltando ao título do texto, a ideia é obviamente que cada um imagine lá o seu nome... e que assim aquele funcione como um primeiro incentivo!