Riqueza média em Portugal: superior a 100,000 dólares por adulto em 2019


Na edição de 2020 do seu Global Wealth Report, o Credit Suisse analisou a evolução da riqueza mundial em termos anuais, muito embora, dadas as circunstâncias da pandemia que nos assola, o banco tenha decidido também incluir informações referentes à variação da riqueza nos primeiros meses do ano. Como já lhe mostrámos, o início da pandemia traduziu-se numa diminuição de 17,5 biliões de dólares na riqueza das famílias entre janeiro e março, cerca de 4,4%.

Olhando para as diversas regiões e países, o Credit Suisse aponta “as grandes variações” na riqueza média. O mapa abaixo, mostra que as nações com riqueza por adulto acima dos 100,000 dólares em 2019 se localizavam na América do Norte, Europa Ocidental, e nas partes mais ricas da Ásia de Leste, do Pacífico e do Médio Oriente. Como visível também, Portugal encontrava-se na lista de países que a instituição contabiliza com uma riqueza superior a 100,000 dólares por adulto em 2019, embora não especifique o valor em concreto.

Captura_de_ecra__2020-10-23__a_s_12

A Suíça, e mais uma vez, volta a liderar nesta métrica, com um valor que contabilizam de 598,410 dólares. Embora exista a possibilidade de que o Liechtenstein e o Mónaco possam ultrapassar o país helvético na riqueza média por adulto, o Credit Suisse escreve que “não existem evidências suficientes para fazer esse julgamento”. Seguem no ranking Hong Kong (USD 518,810), os Estados Unidos (USD 463,550), a Austrália (USD 419,460) e a Nova Zelândia (USD 341,060).

Inevitavelmente, a riqueza das famílias foi afetada com pandemia que assolou o mundo desde março e, como já referido,  a riqueza das famílias encurtou – e muito- só de janeiro a março de 2020. “As economias contraíram, o desemprego aumentou, e grandes flutuações nos mercados financeiros tiveram lugar, em todo o mundo”. Mas, ainda assim, há diferenças por região e países.

(Clique na imagem para aumentar)

Captura_de_ecra__2020-10-23__a_s_12

Como visível na tabela, e certamente pouco surpreende, são os números que indicam que o PIB italiano foi o que sofreu a maior variação, já que foi onde “o COVID-19 fez a sua estreia chocante na Europa”. Seguem-se a França e o Reino Unido: todos com a expetativa de que o seu PIB se reduza mais de 9% ou mais em 2020. Facto é que Portugal também não se situa na lista das melhores previsões. A entidade estima uma redução do PIB nacional de 8% em 2020.

Notícias relacionadas

Próximos eventos