Tags: Negócio |

Recursos Fora de Balanço no Banco Popular perto dos mil milhões em 2015


Um crescimento de 17,8%, foi a variação verificada nos ativos totais do Banco Popular Portugal, de acordo com o Relatório e Contas publicado pela entidade aos mercados através da CMVM. Com este incremento, o valor total dos ativos sob gestão da entidade ultrapassou os 6 mil milhões de euros, após o crescimento de quase mil milhões de euros durante todo o ano passado.

Cerca de 16% desse valor – 975 milhões de euros - representava, no final do ano passado, os recursos fora do balanço da entidade, com o segmento “seguros de investimento e capitalização” a ser o maior, com mais de 482 milhões de euros. Já com 251 milhões de euros surgia, logo de seguida, os “fundos de investimento”. Com pouco mais de cem milhões de euros vêm os “seguros de reforma” e ainda a “gestão de carteiras”.

Popular Arrendamento: o maior fundo

No final de 2015, eram onze os fundos geridos pela Popular Gestão de Activos que somavam um património de 251 milhões de euros. Desses, o maior fundo mobiliário da entidade era o Popular Global 25 que tinha, no final de 2015, um volume sob gestão superior a 49 milhões de euros. Acima dos 40 milhões de euros encontramos mais um produto. Trata-se do Popular Global50 que fechou o ano passado com quase 47 milhões de euros.

No entanto, o maior fundo da entidade é imobiliário e denomina-se de Popular Arrendamento. No final do ano passado o seu valor em carteira superava os 50 milhões de euros.

Em termos percentuais, o fundos que mais cresceu em 2015 foi o Popular Global 75, que cresceu 54,6% para um património superior a 24,1 milhões de euros.

Comissões em queda

Em 2015, as comissões líquidas do Banco Popular Portugal sofreram um revés. De acordo com o Relatório e Contas o valor das comissões liquidas totais ascenderam a 49,8 milhões de euros, menos 10% do que o registado no final de 2014. Nesta rubrica, destaque para as comissões de gestão de ativos que atingiram mais de 2,2 milhões de euros, um valor mais baixo em 4,8% face ao final de 2014.

Empresas

O Mais Lido