Tags: Negócio |

Reclamações relativas a fundos de investimento crescem junto da CMVM


A CMVM assistiu a menos reclamações no primeiro semestre do ano. É o que indica a informação estatística semestral dada a conhecer pelo regulador, onde é apontada uma diminuição de 15% nas reclamações recebidas face ao período anterior, e de 13% face ao período homólogo. Uma diminuição que, para a CMVM, poderá ter que ver com “a entrada em vigor a 31 de março de 2019 do Regulamento da CMVM n.º 3/2019”, em que passou “a ser necessário que as reclamações sejam primeiro apresentadas junto da entidade reclamada, de modo a potenciar uma resolução atempada entre reclamante e entidade reclamada”.

Fundos de investimento: mais reclamações 

As ações, tal como já acontecia no trimestre anterior, continuaram a ser o tipo de instrumento que maiores reclamações reuniram – 33%. Contudo, e tal como a própria CMVM refere, o grande destaque vai para o aumento do  peso relativo de reclamações relativas a fundos de investimento (26% vs. 14% no período homólogo).

 

Captura_de_ecra__2019-10-07__a_s_12

O principal assunto de reclamação passou a ser a execução de ordens dos clientes (31%), nomeadamente na subscrição/resgate de fundos de investimento, ordens de bolsa e ordens de transferência de valores mobiliários para outras instituições financeiras, seguindo-se a qualidade da informação prestada (18%), os custos associados aos serviços prestados (17%) e o registo e depósitos de valores mobiliários (15%).

 

Captura_de_ecra__2019-10-07__a_s_12

Em termos genéricos, a CMVM refere ainda que o número de reclamações concluídas aumentou 106% face ao período homólogo e 137% face ao período anterior. “Este aumento ficou a dever-se à conclusão dos processos de reclamação apresentados contra o Banif - Banco Internacional do Funchal, SA (BANIF) na CMVM no seguimento da medida de resolução aplicada à referida instituição em dezembro de 2015”, reportam.

O Mais Lido