Tags: Gestores | ISR |

Ranking de gestoras que seguem as práticas de investimento mais responsáveis


A ShareAction é uma organização especializada em investimento responsável. A empresa apresentou o seu estudo mais ambicioso até à data que revela quem está realmente a dar o exemplo sobre temas ambientais e sociais, e quais a ficar inativas no espaço da gestão de ativos.

No Ranking da Avaliação de Investimento Responsável que esta organização acabou de apresentar, e onde classificou 75 das maiores gestoras de ativos do mundo segundo as suas práticas de investimento responsável, com um foco específico na governance, nas mudanças climáticas, nos direitos humanos, nas normas e na biodiversidade, as gestoras europeias estão no topo, como prova o facto de 19 das 20 primeiras entidades do ranking corresponderem a empresas europeias. A primeira gestora norte-americana que aparece no ranking é canadiana e está na vigésima posição.

O inquérito classifica as gestoras de ativos em função da divulgação e gestão dos riscos e impactos ESG nas suas carteiras. Utilizando dados compilados através de um extenso inquérito alinhado com o TCFD, com informação disponível publicamente, o relatório oferece uma visão geral das tendências globais na adoção de práticas de investimento responsável dentro da indústria da gestão de ativos. O estudo também revela que existem grandes diferenças entre os mercados regionais e que muitos gestores de ativos ainda não conseguiram traduzir os seus compromissos públicos em ações claras sobre uma maior e mais ampla integração de critérios ESG.

“Apesar de muitos na indústria estarem ansiosos por promover as suas credenciais de ESG, a nossa análise indica claramente que poucas das maiores gestoras de ativos do mundo podem afirmar ter uma abordagem verdadeiramente sustentável em todos os seus investimentos. Os nossos resultados mostram que alguns gestores de ativos, incluindo a Robeco, que ocupa o primeiro lugar, mostraram uma liderança real e são a exceção positiva”, afirma Félix Nagrawala, analista sénior da ShareAction.

A gestora holandesa é a que melhor sai retratada no Ranking da Avaliação de Investimento Responsável da ShareAction. Recebe um rating de A, a classificação máxima. Só outras quatros gestoras (BNP Paribas AM, Legal&General, APG e Aviva Investors) recebem um rating semelhante.

Para Gilbert Van Hassel, CEO da Robeco, a posição da sua entidade como a gestora número um da tabela reflete a longa trajetória neste campo e o compromisso da empresa em impulsionar uma mudança positiva através de uma gestão rigorosa e por nos centrar  na integração de critérios ESG. “A Robeco já viu o potencial de incluir a sustentabilidade como uma forma de agregar valor aos nossos clientes na década de 1990, e esta classificação reflete a nossa rica herança e conhecimento e visão de longo prazo neste campo”, sublinha.

Na sua opinião, o conhecimento sobre tudo o que se relaciona com a sustentabilidade não é algo que possa ser desenvolvido da noite para o dia, mas é bom e importante ver tantas gestoras de ativos a unirem-se a esta forma de gerir, já que grandes problemas, como as mudanças climáticas, não se resolverem apenas por uma entidade. "No entanto, é igualmente importante que as declarações de domínio público sejam apoiadas por ações e iniciativas concretas", acrescentou.

A segunda no ranking é a BNP Paribas AM. A empresa francesa subiu 18 posições colocando-se no segundo lugar em 2020, um crescimento significativo desde 2017 quando ocupava a vigésima posição. É a única gestora a obter um ranking superior a 75% em governance e biodiversidade, o que “é a prova de que implementaram políticas para ser uma gestora 100% sustentável e que integra critérios ESG em todos os seus fundos”, explicam.

Segundo Sol Hurtado de Mendoza, diretora geral da BNP Paribas AM para Portugal e Espanha, “comprometemo-nos em tornar a sustentabilidade um pilar central da nossa estratégia e em integrar práticas de investimento sustentável em toda a nossa gama. Comprometemo-nos em ser criadores do futuro e usar os nossos investimentos, a nossa voz e a nossa influência para contribuir para um futuro melhor. Acreditamos que dessa maneira cuidamos do interesse financeiro dos nossos clientes e da economia como um todo. Como investidores ativos, acreditamos que o diálogo e a interação com as empresas nas quais investimos melhoram os processos de investimento e nos permitem gerir melhor os riscos a longo prazo".

Em seguida, apresentamos o ranking das 20 gestoras que, segundo o estudo da ShareAction, seguem práticas de investimento mais responsáveis. Pode ser descarregado através do seguinte link:

Capture

Empresas

Notícias relacionadas