Que movimentos está Paul Read a executar nas suas carteiras?


A equipa de obrigações da Invesco em Henley está a analisar a reação do mercado em todo o universo de investimento depois do triunfo da vitória do sim no referendo sobre a saída do Reino Unido da União Europeia, no final de junho. Depois de conhecer o triunfo do Brexit, adoptaram medidas para mitigar alguns dos efeitos sobre a rentabilidade dos fundos, acrescentando sensibilidade às taxas de juro (duração). Em todo o caso, os produtos que gerem têm uma quantidade relativamente alta de ativos líquidos (cash e obrigações high yield e duração curta), o que – na sua opinião – os ajudará a superar este período de volatilidade do mercado, permitindo também aproveitar as oportunidades que possam surgir se considerarem que os riscos estão devidamente recompensados.

De forma geral, a estratégia permanece sem mudanças. A equipa continua centrada em obrigações que proporcionem a melhor relação rentabilidade/risco. Na sua opinião a solvência do sector bancário melhorou significativamente depois das reformas reguladoras e estruturais, e estas obrigações oferecem uma boa rentabilidade/risco. Desta forma, veem oportunidades na dívida subordinada noutros sectores, incluindo telecomunicações, utilities e seguros.

O Invesco Global Total Return Bond, fundo com classificação Blockbuster e Consistente Funds People, tem 38% da carteira em emissões abaixo de Investment Grade (dos quais 18% são emissões puras de high yield) e mantém cerca de 41,8% em liquidez ou quasi-liquidez (em concreto, aproximadamente 8% diretamente em liquidez e quase 34% da carteira em obrigações governamentais com vencimento inferior a um ano). Esta percentagem de liquidez e quasi-liquidez não tem sofrido mudanças significativas desde o início do ano. O gestor continua com a estratégia barbell da carteira, muito posicionado dentro da parte de risco de crédito em dívida subordinada financeira, híbridos e high yield e uma percentagem elevada em  liquidez e quasi-liquidez.

Por seu lado, o Invesco Pan European High Income, fundo que também dispõe da classificação Blockbuster Funds People é igualmente gerido por Paul Read, neste caso juntamente com Sthephanie Butcher, tem cerca de 45% da carteira alocada a emissões abaixo de investment grade (dos quais 30% são emissões puras de high yield), com uma posição de liquidez e quasi-liquidez de 13,5%. Esta percentagem de liquidez reduziu-se ligeiramente desde o início do ano, com o objetivo de aproveitar as oportunidades que têm encontrado durante o ano em momentos de stress do mercado.

Também com o selo Blockbuster tempo de falar do Invesco Euro Corporate Bond, que tem aproximadamente 13% da carteira alocada a emissões abaixo de Investment Grade (dos quais 6% são emissões puras de high yield) e mantém quase outros 13% em quasi-liquidez (em concreto, cerca de 6% diretamente em liquidez e quase 7% da carteira em obrigações governamentais com vencimento inferior a um ano). Esta percentagem de liquidez e quasi-liquidez não tem sofrido mudanças significativas desde o início do ano. O gestor continua com um posicionamento muito prudente, muito posicionado dentro da parte de risco de crédito em dívida subordinada financeira, híbridos e high yield, e uma percentagem elevada de liquidez e quasi-liquidez. Este importante peso em liquidez é feito através de estratégias que gere, com o objetivo de aproveitar as oportunidades quando acontecem fortes correções de mercado, nas quais pode  aproveitar obrigações a um preço atrativo.

Empresas