Tags: Negócio |

Que fundos vingam a dois anos?


Os últimos dois anos – com dados de final de março passado – mostram que os fundos nacionais, em termos médios, apresentam uma rendibilidade negativa pouco superior a 1%, em moeda base, segundo os dados publicados pela Morningstar através da sua plataforma online.

Segundo a empresa de análise, nos dois anos anteriores ao final do primeiro trimestre deste ano, existe uma meia dúzia de produtos que conseguem apresentar uma rendibilidade dois dígitos, contrariando – e de que maneira – a média do mercado nacional.

Dos seis produtos que conseguem registar uma rendibilidade superior a 10%, quatro são geridos pela mesma entidade: a Caixagest. O fundo mais rentável no período em análise é o Caixagest Infraestruturas que regista uma rendibilidade anualizada de 14,04%. Trata-se de Fundos de Investimento Alternativo (FIA), que investe no sector europeu de infraestruturas e que tinha, no final de fevereiro, um património superior a 107 milhões de euros.

Com ganhos de 12,92% surge, logo de seguida, mais um FIA da Caixagest. Trata-se do Caixagest Private Equity que tinha no final fevereiro um volume sob gestão superior a 138,5 milhões de euros. Com o foco no segmento de Private Equity, o fundo tinha como maiores posições em carteira a Magnum Capital e ainda o investimento num fundo da casa: o Caixagest Liquidez.

Ações norte-americanas na linha da frente

O primeiro fundo fora da Caixagest que surge na lista é da responsabilidade de Diogo Pimentel da Santander Asset Management e denomina-se Santander Acções América. No período em análise regista uma rendibilidade anualizada, em moeda base, de 12,10% e tinha, no final de março, mais de 34 milhões de euros em ativos sob gestão. Os dados presentes na plataforma da Morningstar mostram que o maior investimento recaia num ETF da iShares – o iShares Core S&P500 – com as maiores cotadas a serem as multinacionais Apple, Exxon Mobil e ainda a Microsoft.

Com ganhos anualizados de 11,77% surge o Caixagest Acções EUA que é gerido pela Caixagest. No final de março o seu património ultrapassava os 83 milhões de euros com o Facebook a ser a cotada preferida. Destaque, também, para o investimento na Comcast, na Apple ou na Visa que seguem logo de seguida entre as maiores posições.

O investimento core no mercado norte-americano, que rendeu dois dígitos de ganhos nos últimos dois anos, termina com o BPI América D, gerido por José Caras-Altas Badalo da BPI Gestão de Activos. No período em questão atinge ganhos de 10,52% mantendo-se na linha frente entre os mais rentáveis. Recorde-se, também, que este produto foi o mais rentável do mercado nacional em 2014.

A lista é fechada com o maior fundo de ações do mercado nacional e aquele que mais captações líquidas registou ao longo dos últimos (largos) meses. Trata-se do Caixagest Ações Líderes Globais, da Caixagest, que atinge uma rendibilidade anualizada de 10,38%.

Os 15 fundos com maiores rendibilidades nos últimos dois anos

Fundo Gestora Rendibilidade 2 anos (%) *
Caixagest Infraestruturas Caixagest 14,036
Caixagest Private Equity Caixagest 12,922
Santander Acções América Santander Asset Management 12,102
Caixagest Acções EUA Caixagest 11,768
BPI América D  BPI Gestão de Activos 10,517
Caixagest Ações Líderes Globais Caixagest 10,376
IMGA Acções América IM Gestão de Activos 9,969
Caixagest Acções Japão Caixagest 9,125
IMGA Global Equities Selection IM Gestão de Activos 7,854
Caixagest Imobiliário Internacional Caixagest 6,352
Caixagest Obrigações LP Caixagest 5,784
Montepio Euro Healthcare Montepio Gestão de Activos 5,684
Montepio Euro Utilities Montepio Gestão de Activos 5,557
Banif Ásia Banif Gestão de Activos 4,873
Optimize Europa Obrigações Optimize Investment Partners 4,652

Fonte: Morningstar a 31 de março. * Em moeda base

Profissionais
Empresas