Tags: Gestores | Negócio |

Quais os fundos que a Nordea propõe como alternativa ao Nordea 1 – Stable Return?


O soft close do Nordea 1 – Stable Return deixou os investidores que até agora se tinham mantido fora da estratégia sem a possibilidade de entrar naquele que se converteu num dos fundos multiativos mais populares do mercado europeu. No entanto, na entidade colocam em cima da mesa algumas alternativas. Numa conference call com clientes, Asbjørn Trolle Hansen, co-gestor do Nordea 1 – Stable Return, indicou quais são, na sua opinião, as estratégias, que poderão encaixar como um bom substituto do produto da Nordea que acaba de encerrar. “Embora o Nordea 1- Stable Return seja o nosso fundo estrela e o fundo de maior tamanho da gestora, a equipa de multiativos da entidade gere uma ampla gama de produtos seguindo a mesma filosofia de investimento do Nordea 1 – Stable Return e apoiando-se no mesmo critério de análise, embora se tratem de estratégias com diferentes características”, afirmam.

O primeiro fundo que assinalam é o Nordea 1 – Multi Asset Fund (MAF), produto lançado pela entidade nórdica há mais de cinco anos, que tem como objetivo obter uma rentabilidade anual Eonia + 5%, apresentando uma volatilidade que se situa em torno dos 7%, tudo isso em condições normais. Trata-se de uma estratégia de investimento alternativa líquida, que procura captar o prémio de risco de várias classes de ativos usando critérios de rebalanceamento de risco e estratégias direcionais, apoiando-se nos benefícios da diversificação. “Não replica a estratégia do Stable Return, mas aproxima-se muito em termos do perfil de risco. Diferencia-se no facto de não seguir exclusivamente os critérios de equilíbrio de risco do Stable Return. É uma estratégia mais alavancada, que usa um conjunto mais amplo de prémios de risco, sendo mais direcional do que o Stable Return. Para além disso, também não tem em específico um objetivo de preservação de capital com um horizonte de três anos, apenas com um objetivo de volatilidade de 7% em condições normais de mercado”, explicam.

A segunda estratégia que mencionam é o Nordea 1 – Flexible Fixed Income Fund, produto lançado há três anos, com um objetivo de rentabilidade Eonia +2% e uma volatilidade esperada de 3% anual. Trata-se de uma estratégia flexível de obrigações globais, que se apoia em critérios de equilíbrio de risco para conseguir a preservação de capital. Gerido por Karsten Bierre, a equipa de multiativos da Nordea e do Nordea 1 – Stable Return aplicaram a sua receita e filosofia ao universo das obrigações. A pedra angular do processo de investimento deste produto com a classificação Blockbuster Funds People é ser ininterrupto ao nível dos riscos, em vez de ter como objetivo uma rentabilidade mais elevada. O risco gere-se em dois planos: o estratégico (longo prazo) e o tático (curto prazo).

O terceiro e último produto que assinalam da Nordea como um bom substituto para o Nordea 1 – Stable Return é uma nova estratégia na qual está a trabalhar a equipa de multiativos da entidade que investirá principalmente em obrigações e divisas. “Trata-se de um fundo pensado para os clientes que procuram preservar o capital e gerar uma atrativa rentabilidade, com baixa volatilidade e baixos drawdowns, como os do Nordea 1 – Stable Return”, adiantam da Nordea.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos