Quais as categorias APFIPP mais rentáveis nos últimos doze meses?


O mercado acionista tem estado a recuperar ao longo dos últimos tempos, depois um período um tanto ou quanto conturbado. Prova disso, é o facto da maior parte dos dez produtos mais rentáveis nos últimos doze meses investir através dessa classe de ativos. Quem o mostra é a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios - APFIPP - através dos seus dados publicados no final do mês passado.

De acordo com a Associação, a categoria que mais rendibilidade média gerou nos últimos doze meses (com data a final de março) é aquela que junta os Fundos de Investimento Alternativo de Acções. No período em questão a rendibilidade média foi de 58,57%, sendo que o segmento é composto apenas por um produto: o BPI Brasil Valor que é da responsabilidade da BPI Gestão de Activos. Este fundo "é gerido pelo Itaú Unibanco, uma das mais credenciadas instituições brasileiras e parceiro do BPI na gestão do BPI Brasil Valor", conforme revela a ficha do produto, e foi o melhor produto nacional no ano passado com ganhos superiores a 73%. No final de março, o sector financeiro era o que pesava mais na carteira, com cerca de 27% do portefólio, apoiado pelo investimento, por exemplo, do Banco Bradesco.

Logo depois, com uma média de ganhos no período em questão de 21,79%, vem o segmento que junta os Fundos de Acções da América do Norte. A categoria é composta por seis produtos, com o mais rentável nos últimos doze meses a ser o Caixagest Acções EUA com uma valorização superior a 26%. Gerido pela Caixagest, o fundo gere um património superior a 100 milhões de euros, com o sector financeiro a ser o preferido, com cerca de 20% do portefólio alocado. No entanto, o maior investimento em carteira é realizado numa cotada ligada ao sector da saúde: a UnitedHealth Group.

A categoria denominada de "Outros Fundos de Acções Internacionais" fecha o pódio no que diz respeito aos segmentos mais rentáveis. No total, a categoria inclui uma dúzia de produtos que, em termos médios, apresentam uma rendibilidade nos últimos doze meses de 18,71%. O grande responsável por esta média é o produto BPI Ásia Pacífico, da BPI Gestão de Activos. No período em análise registou ganhos de 24,17%, e na ficha de março do produto é possível ler-se que "na região Asiática, os índices MSCI Asia Pacific excluding Japan e MSCI Asia Pacific TR Gross registaram retornos de 2.6% e 1.4%, respetivamente".

Mais três segmento acima de 10%

Na lista da APFIPP, é possível ver que existem mais três segmentos que registam ganhos médios superiores a 10%. Em todos eles, as ações destacam-se por serem a classe de ativos predominante. Com ganhos médios de 14,89% vem a categoria que engloba todos os fundos de ações que investem na "União Europeia, Suíça e Noruega", sendo seguido dos fundos de "ações sectoriais" com uma rendibilidade de 13,84%. O outro segmento que regista uma valorização médio superior a 10% é o que junta os fundo "multiativos agressivos", com um resultado de 13,82%.

As categorias mais rentáveis nos últimos doze meses

Categoria de Fundos Rendibilidade média nos últimos 12 meses
 Fundos de Investimento Alternativo de Acções 58,57%
 Fundos de Acções da América do Norte 21,79%
 Outros Fundos de Acções Internacionais 18,71%
 Fundos de Acções da U.E., Suíça e Noruega 14,89%
 Fundos de Acções Sectoriais 13,84%
 Fundos Multi-Activos Agressivos 13,82%
 Outros Fundos 9,64%
 Fundos Flexíveis 9,34%
 Fundos Multi-Activos Equilibrados 7,74%
 Fundos de Investimento Alternativo Flexíveis 5,79%
Empresas

Notícias relacionadas