Tags: Obrigações | Ações |

PSI20 fecha a subir 1,66% “recuperando da violenta queda de ontem”


“A sessão de hoje do PSI20 foi caracterizada pela recuperação da violenta queda de ontem, suportada pelas subidas do sector bancário e da Portugal Telecom. Este comportamento foi conseguido num enquadramento de quedas generalizadas nas restantes praças europeias. Da parte do Banco Central Europeu e do Banco de Inglaterra não se verificou nenhuma alteração relevante em termos de Política Monetária”, comentou Ricardo Almeida da Patris Gestão de Activos.

Lisboa distinguiu-se em terreno positivo subindo 1,66% para os 5.679,97 pontos enquanto as restantes bolsas europeias deslizaram acima dos 0,50%. Madrid recuou 0,71%, Paris 0,77% e Frankfurt 0,73%. Em Londres, a queda foi mais acentuada (-1,19%) para os 6.344,12 pontos.

Ricardo Almeida acrescentou que “as recomendações favoráveis para o BES por parte do CITI e para a PT por parte da Goldman Sachs ajudaram a inverter o sentimento dos investidores para com os dois títulos. Na Europa, a sessão de hoje inverteu para terreno negativo aquando da conferência de imprensa do governador do BCE, sendo de referir que os mercados da zona não euro (Reino Unido, Suíça, Suécia) tiveram quedas mais substanciais”.

Na bolsa portuguesa, o sector energético recuou esta quinta-feira com os títulos da EDP e GALP a descerem 0,04% e 0,54% para os 2,319 euros e 11,995 euros. Em sentido contrário, a EDP Renováveis subiu 1,97% para os 3,720 euros e a REN fechou a ganhar 0,73% para os 2,197 euros.

A banca protagonizou as maiores subidas do PSI20 com o BES a subir 6,61% para os 0,742 euros, BCP a valorizar 4,82% para os 0,087 euros, o BPI subiu 4,80% para os 0,961 euros e o Banif valorizou 1,82% para os 0,112 euros.

Entre os títulos da área e telecomunicações, além da subida registada pela Portugal Telecom, também a Sonaecom valorizou 2,30% para os 1,688 euros enquanto que a Zon Multimédia perdeu 1,48% para os 3,196 euros.

A Jerónimo Martins terminou a sessão com uma subida de 0,55% para os 15,535 euros. Na indústria do papel, a Semapa foi o outro título que fechou em terreno negativo, recuando 1,48% para os 6,80 euros.