Tags: Obrigações | Ações |

PSI 20 sobe com energia da EDP


 

 

Entre as congéneres da bolsa portuguesa, o dia foi indefinido, com sectores como banca e mineiro em alta e optimismo face à economia chinesa, mas pressionados pela contracção da economia do Reino Unido. A praça de Frankfurt fechou inalterada, Madrid perdeu 0,24% e Paris e Londres valorizaram 0,28% e 0,39%, respectivamente.

Na NYSE Euronext Lisbon, o PSI 20 valorizou 1,76% para 5.371,7 pontos, com 14 títulos positivos e seis negativos.

A EDP foi o que mais contribuiu para o desempenho do PSI 20, ao somar 4,25% para 2,037 euros, depois de o presidente da China Three Gorges ter afirmado o interesse em comprar a participação que o Estado detém na Energias de Portugal. Ainda no sector energético, a Renováveis subiu 2,94% para 3,888 euros, a Galp avançou 0,85% para 11,84 euros e a REN fechou em queda de 0,1% para 1,993 euros.

A recuar encerrou também a Jerónimo Martins, com uma desvalorização de 0,66% para 14,35 euros.

No sector financeiro, o Banif foi a excepção, ao recuar 1,63% para 0,121 euros, num dia em que BPI progrediu 2,45% para 0,836 euros, BCP subiu 1,39% para 0,073 euros, BES ganhou 2,6% para 0,83 euros e ESFG avançou 0,19% para 5,29 euros, acompanhando a tendência do exterior.

A maior valorização da sessão foi protagonizada pela Zon Multimédia, que encerrou em alta de 6,49% para 2,886 euros, num dia em que a Goldman Sachs melhorou o preço-alvo para a empresa. Os outros dois títulos da área de tecnologia e telecomunicações, Sonaecom e Portugal Telecom, fecharam também positivos, com ganhos de 2,83% e 1,76%, respectivamente, para 1,49 euros e 3,576 euros.