Tags: Negócio |

PSI-20 sobe 1,9% em maio e volume de transação de obrigações do Tesouro continua a crescer


Junho representou para o PSI-20 um mês de subidas. Segundo os últimos dados da CMVM referentes ao sexto mês do ano o índice nacional subiu 1,9% face a maio ficando nos 5.137,47 pontos. Em termos homólogos, contudo, o índice decresceu 7,1%.

Como visível na tabela abaixo, o BCP, a Jerónimo Martins e a EDP mantiveram-se no lugar de emitentes com maior representatividade no índice. O Banco Comercial Português foi mesmo o título que apresentou maior variação homóloga, com um crescimento de 3,89 p.p. Destaque também para a variação homóloga da Jerónimo Martins, que conseguiu um crescimento de  3,65 p.p.

Captura_de_ecra__2019-07-02__a_s_10

Os mesmos dados do regulador indicam também que a volatilidade do índice foi de 13,26%, abaixo dos 13,67% fixados no mês anterior, mas superior aos 13,19% registados em igual período do ano passado.

O valor das transações efetuadas no mercado secundário a contado, por sua vez, totalizou 1.775,6 milhões de euros, menos 39,9 milhões (2,2%) do que em maio e menos 40,9 milhões (2,3%) do que em junho de 2018. Na Euronext Lisbon, o volume de transações situou-se em 1.671,3 milhões de euros, o que representa uma descida mensal de 0,7% e uma descida homóloga de 4,7%.

Captura_de_ecra__2019-07-02__a_s_11

No MTS Portugal, o volume transacionado sobre títulos de dívida totalizou 12.358,5 milhões de euros em junho, o que representa uma descida mensal de 9,0%, com as transações sobre Obrigações do Tesouro a subirem 7,4% e os Bilhetes do Tesouro com uma redução de 28,3%.

Captura_de_ecra__2019-07-02__a_s_11

A capitalização bolsista da Euronext Lisbon totalizou 207.571,1 milhões de euros, mais 4.339 milhões (2,1%) do que no mês anterior e menos 26,5% do que no período homólogo. O segmento acionista aumentou 1,8% para 59.287,8 milhões de euros e o segmento obrigacionista cresceu 2,3% para 144.660,5 milhões de euros.  

O valor sob gestão dos organismos de investimento coletivo em valores mobiliários e fundos de investimento alternativo caiu 1,2% em maio face a abril para 11.657,3 milhões de euros. Nos fundos de investimento imobiliário e fundos especiais de investimento imobiliário o montante desceu 1,2% para 10.899,6 milhões de euros.

 

Notícias relacionadas