Tags: Obrigações | Ações |

PSI 20 fecha em terreno negativo


Entre as congéneres da bolsa portuguesa, as quedas oscilaram entre 0,94% de Londres e 1,68% de Madrid, com os investidores a manterem-se receosos acerca do caminho que seguirão os bancos centrais relativamente à política de estímulos às economias, no dia em que o Banco do Japão não fez qualquer anúncio de novos apoios.

Na NYSE Euronext Lisbon, o PSI 20 caiu 0,69% para 5.766,90 pontos, com cinco títulos positivos e 15 negativos, tendo terminado o dia “mais resiliente que os pares europeus”, refere Franciso Almeida, da Orey Financial. E “apesar do aumento nas taxas de juro da dívida portuguesa, que a 10 anos já voltou para os 6,4%, a banca mostrou alguma resistência”, salienta.

O BES terminou o dia a subir 1,67% para 0,732 euros, o BCP somou 1,0% para 0,096 euros “já no leilão de fecho, mesmo tendo estado a cair 4% durante a sessão”, o BPI progrediu 0,1% para 0,972 euros e o Banif desvalorizou 1,03% para 0,096 euros.

Entre as quedas mais acentuadas ficou a Jerónimo Martins, que perdeu 2,11% para 15,97 euros.

Na área de telecomunicações, o dia foi negativo, com a Portugal Telecom a perder 1,83% para 3,17 euros, a Sonaecom a deslizar 0,64% para 1,548 euros e a Zon Multimédia a descer 0,67% para 3,402 euros.

No sector energético, EDP e EDP Renováveis fecharam no ‘vermelho’, a descer 0,63% e 0,24%, respectivamente, para 2,519 euros e 3,703 euros, tendo a Galp Energia fechado em queda de 0,6% para 12,445 euros e a REN a cair 0,23% para 2,12 euros.

Além dos três títulos da banca tiveram também uma sessão positiva a Sonae Indústria, que subiu 0,19% para 0,523 euros, e a Mota-Engil, que progrediu 0,14% para 2,195 euros.