Tags: Obrigações | Ações |

PSI 20 atinge um máximo reflectindo o desfecho do impasse político


O PSI 20 voltou a terreno verde valorizando 2,3% para os 5.651,400, atingindo assim um valor record, o que não acontecia desde 21 de Junho.

Ricardo Almeida, Gestor de Activos na Patris, refere que “após a confirmação da não convocação de eleições antecipadas, a taxa de juro em mercado secundário da dívida soberana de Portugal teve uma queda bastante pronunciada, aproximando-se dos 6% para o prazo de 10 anos. Este enquadramento mais favorável para os activos de risco potenciou subidas fortes na banca nacional, sendo de destacar a valorização superior a 10% do BES. A KPN confirmou que está em negociação com a Telefónica no sentido de vender o seu negócio na Alemanha, indiciando uma continuação do movimento de consolidação do sector de telecomunicações europeu. Nos Estados Unidos, o S&P 500 atingiu um novo máximo histórico”.

Nas restantes congéneres europeias, apenas Frankfurt encerrou a sessão no vermelho, descendo 0,01%. Madrid valorizou 0,36% e Paris encerrou a subir 0,37%.

NYSE Euronext Lisbon, apenas duas empresas cotadas encerraram a descer, enquanto as restantes valorizaram todas.

O destaque de hoje vai para o sector bancário que protagonizou as maiores valorizações do dia. O BES subiu 10,48% para os 0,685, tendo sido a maior subida neste fecho de sessão. Em seguida, o Banif que valorizou 8,33% para os 0,052, enquanto o BCP subiu 6,67% para os 0,096. O BPI valorizou 4, 51% para os 0,951.

No sector energético foi onde aconteceu uma das quedas do dia. A EDP encerrou a desvalorizar 0,60% para os 2,485. A EDP renováveis encerrou no verde subindo 0,08% para os 3,720; a Galp Energia foi a que valorizou mais do sector e subiu 1,10% para os 11,910. Já a REN fechou a valorizar 0,92% para os 2,200.

No sector das telecomunicações, todas as empresas cotadas encerraram a valorizar. A Zon Multimédia encerou com maior valorização entre as concorrentes, subindo 3, 43 para os 4,158. Segiu-se a Portugal Telecom, que subiu 2, 80 para os 2,831. Com uma menor valorização, mas no verde, a Sonaecom fechou a subir 1,83% para os 1,782.

A retalhista Jerónimo Martins foi uma das duas empresas a desvalorizar, tendo caído 0,32% para os 15,835. Pelo contrário, a concorrente Sonae SGPS valorizou 4, 74% para os 0,795. A construtora Mota-Engil também fechou em alta subindo 3,08% para os 2,742.

Empresas