Tags: Negócio |

Preocupação com o efeito das estratégias passivas no risco sistémico


Os investidores institucionais europeus estão preocupados pelo efeito que os investimentos passivos têm sobre o risco de mercado e dos preços dos ativos. 60% acreditam que o auge dos investimentos passivos aumentou o risco sistémico e 62,5% destaca que as captações das estratégias passivas reduziram artificialmente a volatilidade.

Mais de metade (55,6%) dos investidores institucionais europeus também acreditam que o investimento passivo distorceu as cotações relativas e as relações entre risco e rentabilidade, segundo uma sondagem da Natixis Investment Managers a 500 investidores institucionais (incluindo gestores de fundos de pensões públicos e de empresa, fundos de seguradoras e fundos de investimento estatais) na América do Norte, América Latina, Reino Unido, Europa, Ásia e Médio Oriente.

Nesta conjuntura, os investidores institucionais também estão a reduzir o ritmo ao que pretendem aumentar a sua exposição às estratégias passivas e parecem ter encontrado o ponto certo nas suas alocações. Quando se lhes perguntou acerca das alocações de ativos em 2015, os investidores institucionais de todo o mundo previram um aumento dos investimentos passivos até 43% num prazo de três anos, mas se avançarmos para 2018 vemos que os inquiridos não deram mostras de terem realizado grandes mudanças na sua alocação atual de 70% gestão ativa e 30% passiva durante os três anos seguintes.

Os investidores institucionais de todo o mundo também estão a expressar a sua preferência pela gestão ativa perante a volatilidade que se prevê nos mercados em 2019; assim, quatro em cada cinco (80%) esperam que a volatilidade aumente nos mercados durante o próximo ano. Uma percentagem semelhante de investidores institucionais europeus (76,2%) sugere que o contexto de mercado atual irá favorecer a gestão ativa de carteiras. Os investidores globais continuam a ser otimistas acerca das rentabilidades, mas reduziram a rentabilidade prevista média para o ano até 6,7%, face a 7,2% da sondagem de 2017. No caso dos investidores europeus, este valor diminui para os 5,8%.

Embora a maioria dos investidores acredite que o contexto de mercado seja ótimo para o investimento ativo, continua a existir razões para que os gestores ativos mostrem de forma mais clara o seu valor adicional, uma vez que metade dos que implementam estratégias passivas assinala que existem demasiados fundos indexados escondidos na indústria da gestão ativa. Contudo, se a indústria é capaz de identificar estes fundos indexados escondidos, então mais de dois terços (62,5%) dos investidores pensa que este facto irá acabar por beneficiar os gestores que aplicam uma abordagem verdadeiramente ativa e os seus resultados, e a maioria prevê que os investimentos ativos sobressaiam a longo prazo.

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido