Prémios Morningstar: os vencedores de 2020


Embora os Morningstar Awards deste ano não decorram com a habitual pompa e circunstância a que todos estamos habituados, reunindo-se no mesmo espaço a indústria de gestão de ativos, a empresa de análise não quis deixar de honrar o compromisso que tem para com o mercado português há anos.

Desta forma, a Morningstar acaba de divulgar no seu website os vencedores deste ano dos Morningstar Awards no que toca aos fundos de investimento e casa gestoras.

Em comunicado, Jonathan Miller, Director e Manager Research Ratings, UK, refere que “este ano os vencedores dos Morningstar Portugal Fund Awards adotaram uma abordagem de longo prazo ao investimento que, em última análise, ajudou os retornos dos investidores dentro do contexto do seu peer group. Acrescenta que “o objetivo primeiro destes prémios Morningstar orientados quantitativamente é reconhecer os fundos e as entidades gestoras que mostraram capacidades de obter retornos de longo prazo fortes, sem um risco indevido”.

Conheça em detalhe os vencedores:

Nacional

Vencedor

Melhor fundo de Alocação EUR

Optimize Investimento Activo

Melhor fundo de Obrigações EUR

Optimize Obrigações 

(Consistente FundsPeople 2020)

Melhor fundo de Ações Portugal

IMGA Ações Portugal

Melhor entidade gestora de fundos: Ações

Montepio Gestão de Activos

Melhor entidade gestora de fundos: Obrigações

Caixa Gestão de Ativos

Melhor entidade gestora de fundos: Global

Caixa Gestão de Ativos

 

Internacional

Vencedor

Melhor fundo de Alocação EUR

Capital Group Global Allc (LUX) Bdh EUR

Melhor fundo de Obrigações EUR

NB Euro Bond

(Consistente e Favorito dos Analistas do Selo  FundsPeople 2020)

Melhor fundo de Ações Europa

MFS Meridian European Smlr Coms A1 USD 

(Blockbuster e Consistente do Selo FundsPeople 2020)

Melhor fundo de Ações Globais

Investec GSF Glb Qual Eq Inc A Inc USD 

(Consistente FundsPeople 2020)

Melhor entidade gestora de fundos: Ações

Neuberger Berman

Melhor entidade gestora de fundos: Global

T. Rowe Price

 

Segundo a empresa de análise, os fundos premiados devem apresentar, antes de mais, "rentabilidades sólidas ajustadas ao risco tanto em 2019 como durante os últimos três e cinco anos. Adicionalmente, de modo a evitar que a rentabilidade obtida num período específico afete excessivamente o resultado global, a Morningstar também exige que o referido fundo tenha obtido um resultado superior ao dos seus concorrentes em, pelo menos, três dos últimos cinco anos". "Consideramos que com esta combinação, os prémios recompensam os fundos que obtiveram bons resultados no último ano e que, ao mesmo tempo, demonstraram consistência a longo prazo, em função do risco assumido", esclarecem. Numa segunda fase, a Morningstar aplica um filtro qualitativo para selecionar os vencedores, baseando-se no trabalho da equipa de analistas que a entidade tem distribuída por toda a Europa.

Recorde no link os vencedores do ano passado.

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido

Próximos eventos