Tags: Negócio |

Portugueses acima da média europeia em factores ESG


Publicado recentemente, o Schroders Global Investor Study 2016, revela que os millenials dão mais relevância a fatores Ambientais, Sociais e de Governance (ESG) nos seus investimentos do que os investidores mais velhos. Os investidores na faixa etária dos 18 aos 35 anos, colocam estes factores ao mesmo nível de importância do retorno dos investimentos aquando da eleição de um veículo de investimento. Para Carla Bergareche, diretora geral da Schroders para Portugal e Espanha, “enquanto os retornos ainda são o espectro mais relevante, a importância dos ESG para os investidores finais significa que estes fatores são demasiado importantes para que qualquer consultor os ignore”. Os investidores portugueses não passam ao lado desta tendência, posicionando-se acima da média europeia na importância que dão a factores ESG nos investimentos.

Relativamente à duração média dos investimentos, o estudo mostra que a média global dos investimentos ESG é de 2,1 anos mais do que os 3,2 anos dos investimentos comuns. Em Portugal a duração média dos investimentos efetuados com base nos fatores ESG é de apenas 1,7 anos mais que os 2,2 anos dos investimentos comuns.

Os diferentes factores ESG entre os investidores nacionais

No factor de ‘Governance Corporativa’ os portugueses atingem 7.2/10, acima dos 6.8 da média europeia e ao nível dos 7.2 globais. Na ‘Responsabilidade Social’, chegam aos 7.0, acima dos 6.6 da Europa e próximos dos 6.9 do Mundo. No ‘Impacto Ambiental’, os investidores portugueses classificam-se nos 6.9, também acima dos 6.4 europeus e similares aos 6.8 da média global. Já no ‘Impacto Social Local’, os portugueses estão nos 6.9, os investidores Europeus nos 6.4 e os investidores do Mundo os 6.7. E no ‘Impacto Social Global’, 6.8 é a classificação média atribuída aos investidores portugueses, que compara com 6.3 para os Europeus e 6.7 a nível global.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido