Tags: Negócio |

Portugal com saldo negativo nos fundos UCITS no primeiro trimestre do ano


No primeiro trimestre do ano o saldo entre subscrições e resgates em Portugal, nos fundos UCITS, foi negativo em 255 milhões de euros. Este valor segue em sintonia com grande parte dos restantes países que fazem parte da EFAMA (European Fund and Asset Management Association), já que o acumulado do trimestre foi negativo em 6.459 milhões de euros.

Este valor contrasta com os 122.327 milhões de euros registados no mesmo período do ano passado. Para o saldo ser negativo no primeiro trimestre deste ano, em muito contribuíram países como Luxemburgo ou Irlanda que registaram captações negativas de 21.750 e 1.962 milhões de euros, respetivamente.

Obrigações e Multiativos: os principais responsáveis

Os dados da EFAMA mostram, também, que foram os fundo nacionais UCITS de obrigações e ainda os multiativos que puxaram os valores para baixo. Segundo a Associação os fundos de obrigações portugueses registaram captações negativas de 105 milhões de euros, com os multiativos a fixarem-se nos 101 milhões de euros. Já os fundos de ações  do mercado português tiveram um saldo entre subscrições e resgates negativo, na ordem dos 18 milhões de euros, enquanto os de mercado monetário registaram captações negativas de 37 milhões de euros.

Ativos em queda

Também os ativos sob gestão, dos fundos nacionais, registaram um decréscimo no primeiro trimestre de 2016. Nos fundos UCITS a descida foi de 4,5% para um total de 7.236 milhões de euros. No caso dos fundos Alternativos a queda foi de 3,2% para um valor pouco superior a 15 mil milhões de euros.

Em termos totais, o mercado nacional somava mais de 22.315 milhões de euros, menos 3,6% do que o valor registado no final de 2015.

Quadro-resumo dos dados da EFAMA

Captura_de_ecra__2016-07-6__a_s_17

Fonte: EFAMA. Valores em milhões de euros

Notícias relacionadas

O Mais Lido