Tags: Negócio | EUA |

Pontos-chave da aliança: Termos do contrato entre a BlackRock e a Fed


A BlackRock assistirá a Reserva Federal no programa de compra de dívida corporativa lançando pelo banco central na resposta à crise do Covid-19. Como deixa claro o acordo publicado pela Reserva Federal de Nova Iorque, o papel da gestora americana será vender e comprar obrigações corporativas, empréstimos corporativos e ETF de obrigações corporativas com o objetivo de cumprir da melhor maneira o programa de facilidade de crédito corporativo no mercado secundário dos Estados Unidos (o SMCCF, sigla em inglês).

A gestora trabalha em conjunto com a Fed para implementar as guias do critério de seleção e as mecânicas desses ativos, assim como para estabelecer a construção da carteira, as normas de diversificação, estratégias de trading e protocolos de execução.

A BlackRock atuará como entidade fiduciária para o programa de compras. Assim, vai reger-se sob rigorosas barreiras de informação e políticas de conflito de interesse. De facto, os empregados da BlackRock encarregues desta tarefa estarão afastados de outras atividades e acordos da gestora

Os reportes diários da gestão de risco, o inventário, o trading e outras ações da carteira serão geridos através da plataforma Aladdin da BlackRock e serão tornados públicos de forma periódica.

Quanto à estrutura de custos do SMCFF, esta será baseada no valor das obrigações corporate e empréstimos adquiridos pelo programa. A BlackRock cobrará uma comissão de gestão (com um limite máximo) e uma comissão de administração pelo custo de montar a operação do programa, que inclui a potencial inclusão de outras gestoras ou até a substituição da própria BlackRock. A gestora assinou também um compromisso de entidade mais favorecida a favor da Fed de Nova Iorque. Ou seja, que se compromete a dar ao programa os termos mais favoráveis que tenha negociado com outros clientes, incluindo outras instituições oficiais, bancos centrais, fundos de planos de pensões e outras entidades financeiras globais.

Não vai cobrar comissão de gestão sobre o valor de nenhum ETF dentro do SMCCF e, além disso, devolverá ao veículo o valor de todas as comissões subjacentes e receitas que a BlackRock gere (incluindo pelo empréstimo de valores) nos seus próprios ETF da iShares dentro do SMCCF.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido