Património em fundos estrangeiros nas carteiras dos multiativos cresce 30% no ano


Os fundos multiativos das entidades associadas da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP) representam o grosso dos clientes das entidades gestoras internacionais no universo de fundos mobiliários nacionais. São 26 fundos que abrangem muitos dos fundos perfilados das entidades nacionais e incluem nas suas carteiras cerca de 2 036 milhões de euros em fundos de investimento internacionais, 85,9% do total investido por fundos mobiliários nacionais. Este valor representa um crescimento de 30% face aos 1 564 milhões de euros no final de 2016. De entre os multiativos são os 12 fundos defensivos que representam a maior fatia, abarcando cerca de 1 667 milhões de euros em fundos estrangeiros. Em termos de fundos nacionais (incluindo monetários) o total dos fundos multiativos detém uma posição de 98 milhões de euros, cerca de 45% do total investido em fundos de entidades associadas.

Evolução

No segmento mais defensivo, o ano de 2017 trouxe um crescimento significativo dos ativos sob gestão, na ordem dos 26%, para um total de 1 990 milhões de euros. Em termos de alocação das carteiras, os movimento mais evidentes passam por um aumento do peso dos fundos de investimento de 81% para 84%, reflexo de um crescimento do peso dos fundos de ações, monetários e outros fundos a par com uma queda de 7% da ponderação dos fundos de obrigações. Verificamos também um montante de 33 milhões de euros em investimento direto em ações, em contraste com o ano anterior em que não existia qualquer montante nesta rubrica.

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

No segmento equilibrado, o volume de ativos gerido registou igualmente um crescimento significativo, na ordem dos 33%, para 348 milhões de euros. Neste segmento verificámos um decréscimo do peso da liquidez em carteira. Por outro lado, os fundos de ações ocupam no final de 2017 um peso de 53% nas carteiras agregadas, mais 6% que no ano anterior, enquanto os fundos de obrigações ocupam 32% do total do património - menos 6% que em 2016. Os fundos de investimento ocupam 93% do total do património dos fundos multiativos equilibrados.

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

Por fim, o segmento mais agressivo, o mais pequeno dos três - com 74,4 milhões de euros – viu o seu património recuar ligeiramente no ano. Em termos de evolução das posições, entre os dois finais de exercício verificamos um aumento do peso da liquidez, de 2% para 4% e um aumento do investimento direto e indireto em ações, de 0% para 3%, e de 79% para 82%, respetivamente. Os fundos de obrigações viram o património alocado a recuar de 17% para 9%.

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

Fundos que se inserem na categoria multi-ativos da APFIPP

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

Captura_de_ecra__2018-01-22__a_s_17

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido