Tags: Negócio |

Otimizando o retorno no mercado investment grade em euros


TRIBUNA de Olivier Debat, senior investment specialist, e Bernard McGrath, CFA, investment specialist da UBP Asset Management. Comentário patrocinado pela UBP AM.  

UBAM - High Grade Euro Income: exposição a crédito investment grade denominado em euros via uma estratégia com derivados.

Um portefólio de obrigações investment grade com cinco anos de maturidade que tem exposição a taxas de juro alemãs a cinco anos e exposição a spreads investment grade em euros a cinco anos. A estratégia de derivados pode replicar esta exposição via:

-    um contrato de futuros de taxa de juro alemã a cinco anos, para exposição a taxa de juro e

-      um índice de crédito europeu a cinco anos, para exposição ao spread

Estes instrumentos são standardizados, listados, sem risco de contraparte e com muita liquidez. 

O UBAM - High Grade Euro Income implementa esta estratégia com derivados, estratégia essa que é ajustada todos os meses para corresponder à exposição de taxas de juro (duração modificada) e de crédito do mercado de obrigações investment grade (IG), como o medido pelo benchmark ICE BofAML EUR Investment-Grade Large Cap benchmark.

Para os investidores, esta estratégia de derivados é, por isso, economicamente equivalente a construir uma exposição ao mercado de IG denominado em euros via portefólio de investimento direto em obrigações.

É uma estratégia de derivados IG que historicamente tem superado o mercado de obrigações IG.

A estratégia tem – líquida de comissões – consistentemente batido o mercado IG desde 2006.

A estratégia de derivados exibe melhores retornos líquidos: +4,3% vs. +3,8% numa base anualizada, por exemplo com uma outperformance de +42 p.p por ano ou +8,3% numa base cumulativa de 31 de dezembro de 2005 a 29 de junho de 2018. O valor acrescentado da estratégia foi ainda mais confirmado desde o efetivo lançamento do fundo em julho de 2018: o fundo superou o mercado de obrigações IG em euros (de 10.07.2018 a 28.06.2019 – antes de comissões).

A estratégia de derivados também exibe baixa volatilidade. 2,9% vs 3,6% numa base anualizada. Por outras palavras, a estratégia de derivados é menos 20% volátil do que o mercado de obrigações em euros, o que resulta num sharpe ratio 38% mais elevado para a estratégia de derivados (1.5 vs 1.1 ). Isto significa que em cada unidade de risco, a estratégia de derivados apresenta um retorno de 38% mais do que a estratégia de obrigações euro.

Passando para um ETF IG de crédito em euros (iShares Core € Corp Bond), o cenário é similiar, com o ETF a apresentar um pior comportamento do que o mercado de obrigações IG em euros de 25 pontos base ao ano, com elevada volatilidade (3,7%). Por isso, o ETF não é uma solução competitiva vs o UBAM - High Grade Euro Income: que apenas cobra 15 pontos base de comissão de gestão por ano (institutional share class).

Mitigação do drawdown vs o mercado de obrigações IG em euros em tempos de crise

O pior drawdowm historicamente verificado no mercado de obrigações IG em euros – medido pelos retornos peak-to-trough – foi experienciado durante a crise de dívida em 2008.

Mais uma vez, a estratégia de derivados exibiu um melhor track record com um máximo drawdown contido entre -4,6% vs -7,7% para o mercado de obrigações IG.  A estratégia de derivados também teve uma outperformance em tempos de crise numa base anual (a crise de 2008, a crise de dívida soberana de 2011, o abrandamento/queda dos preços do petróleo em 2015, e ainda a situação de 2018).

O iShare Core € Corp Bond foi lançado em setembro de 2009, o que significa que não tem um histórico durante a crise de crédito e teve piores resultados comparativamente com o mercado de obrigações IG nos bear markets de 2011, 2015 e 2018.

A construção do portefólio tem demonstrado um melhor comportamento durante os tempos de crise

A outperformance da estratégia de derivados durante a crise de crédito em 2008, a crise da dívida soberana  em 2011, o abrandamento global/crash do petróleo em 2015 e as preocupações sobre o crescimento global em 2018 provieram do melhor comportamento dos índices em tempos de stress vs obrigações.

Em 2008, 2011, 2015 e 2018, os spreads do mercado de obrigações IG denominado em euros tiveram um pior desempenho do que os spreads de IG via índices (via derivados). Um prémio de iliquidez foi refletido nos spreads das obrigações (por exemplo um desconto de preço de iliquidez foi refletido nos preços das obrigações) o que conduziu a maiores perdas de capital e uma underperformance.  Este prémio de iliquidez atingiu os 200 pontos base em 2008 para as obrigações IG em euros.

Porquê alocar ao UBAM - High Grade Euro Income?

  • Otimizar o retorno em investment grade em euros
  • Outperformance da estratégia vs o mercado de obrigações IG em euros desde 31/12/2005 (líquido e bruto de comissões)
  • Outperformance do fundo desde o seu lançamento a 10 de julho de 2018 (bruto de comissões).
  • Baixa volatilidade e elevado Sharpe ratio do que o mercado de obrigações IG em euros: -20% de baixa volatilidade e +38% de elevado sharp ratio
  • Outperformance nos bear markets:  -4,6% maximum drawdown durante a crise de crédito de 2008 vs -7,7% para o mercado de obrigações IG.
  • Liquidez em todas as condições de mercado via o uso de derivados standardizados.
  • Construído sob o expertise do UBAM - Global High Yield Solution
  • Exposição apenas a dívida senior e investment grade
Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas