Tags: Negócio |

Os “jovens” aniversariantes do trimestre


O tempo de atividade no mercado – o chamado ‘track record’ – tende a ser um elemento importante na análise de um fundo de investimento, uma vez que permite compreender o seu comportamento ao longo de um determinado período do mercado ou até mesmo de um ciclo de mercado. Não obstante, todos os produtos passam por um período em que são considerados “novatos” no mercado.

Neste artigo faremos uma análise aos produtos que vão percorrendo esse caminho, e que comemoram o seu segundo, quinto e décimo quinto aniversário entre os meses de abril e junho deste ano. Numa lista que engloba cinco produtos, a categoria de fundos de obrigações ultra curto prazo é a mais representada, tendo em conta que dois destes produtos se inserem nessa categoria. Quanto aos restantes três veículos de investimento, encontramos um produto do mercado monetário, um fundo de poupança reforma e, ainda, um fundo de ações. A Santander Asset Management, por outro lado, é a entidade que maior número de produtos apresenta.

Os mais novos da lista

Curiosamente, os mais jovens desta lista são os fundos de obrigações de ultra curto prazo e do mercado monetário, sendo que este trio celebra o seu segundo aniversário no mês de abril. Um deles é, precisamente, um fundo da responsabilidade da Santander Asset Management: o Santander Multitesouraria, um fundo de obrigações de ultra curto prazo. Lançado a 1 de abril de 2016, a sua carteira apresenta uma exposição de 36% a obrigações de taxa variável e de 27,8% a obrigações de taxa fixa. Entre os maiores ativos em carteira estão títulos de empresas como Societé Générale, EDP, Banca Popolare di Vicenza ou Goldman Sachs Group, sendo que as obrigações de empresas financeiras representam mais de metade da exposição sectorial total (as de não financeiras representam pouco mais de 38%). Atualmente, gere um património de cerca de 240 milhões de euros.

Os dois produtos que se seguem foram ambos lançados no mesmo dia, embora sejam da responsabilidade de entidades diferentes. Falamos do Montepio Monetário Curto Prazo e do IMGA Liquidez, dois produtos que iniciaram atividade no mercado nacional a 11 de abril de 2016. O fundo da responsabilidade da Montepio Gestão de Activos é um fundo do mercado monetário, sendo que a sua carteira é composta por papel comercial da empresa nacional Corticeira Amorim e tanto por depósitos à ordem, como a prazo. O seu volume de ativos sob gestão atualmente ascende a 8,31 milhões de euros. Já o fundo de obrigações de ultra curto prazo da responsabilidade da IM Gestão de Ativos gere um volume de ativos superior a 100 milhões e apresenta uma carteira com exposição de cerca de 58,6% a obrigações e de 41,3% a depósitos a prazo. Nas maiores posições em carteira encontramos títulos soberanos da república portuguesa e italiana e títulos corporativos de empresas como o UniCredit ou a AT&T.

Os mais velhos

A caminho de celebrar o seu quinto aniversário surge o Santander Poupança Prudente, um fundo que ostenta o selo Blockbuster Funds People e que foi lançado em junho de 2013. Atualmente a sua gestão está a cargo de Pedro Ribeiro, detendo um património sob gestão de 168 milhões de euros. A sua carteira é maioritariamente composta por obrigações, sendo que entre as maiores posições encontramos títulos corporativos de empresas como a BNP Paribas, Societé Generalé ou Allianz Finance, e, ainda, uma participação no fundo Santander Lusimovest.

O Caixagest Acções EUA é o último produto desta lista, e também o mais velho, cujo lançamento ocorreu em maio de 2003. Detentor do selo Blockbuster Funds People e prestes a celebrar o seu décimo-quinto aniversário, o seu património sob gestão é superior a 104 milhões de euros e entre as maiores posições em carteira estão a Boeing, a UnitedHealth Group, a The Home Depot e a Caterpillar. Os sectores industrial e financeiro são, por sua vez, aqueles que apresentam maior preponderância em carteira – 24,49% e 20,64%, respetivamente.

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido