Tags: Ações |

Ações ibéricas puxaram pelos fundos nacionais, no mês de março


O mês de março chegou ao fim e com ele, o primeiro trimestre do ano.  Assim, é tempo de vermos quais foram os produtos nacionais que melhor performance registaram no terceiro mês de 2017. O mês de março foi muito positivo para a bolsa nacional, ao registar uma subida de 7,7%. Foi a maior subida mensal desde outubro de 2015 e fechou acima dos 5 mil pontos, algo que não acontecia desde maio do ano passado. Com estes dados, não é de estranhar que entre os melhores fundos do mês passado, a grande maioria invista na bolsa nacional.

De acordo com os dados publicados pela Morningstar, através da sua plataforma online, o fundo que liderou a lista nacional foi o BPI Ibéria. Gerido pela BPI Gestão de Activos, registou uma rendibilidade  de quase 11%, tendo sido o único produto que apresentou ganhos de dois dígitos. Este produto gere cerca de seis milhões de euros, com o maior ativo em carteira a ser o Banco Santander, seguido das cotadas Indústria De Diseno Textil e ainda da EDP Renováveis, isto no final do mês de fevereiro. De acordo com o prospecto do produto, o seu principal objetivo é o de "proporcionar aos seus participantes o acesso a uma carteira de acções emitidas por sociedades portuguesas e espanholas bem como de sociedades cuja actividade principal seja desenvolvida na península ibérica".

Logo depois vem o IMGA Ibéria Equities, gerido por Nuno Marques da IM Gestão de Ativos. Lançado em fevereiro, no seu primeiro mês completo de vida, conseguiu logo destacar-se ao registar uma rendibilidade de 9,11%. Aquando da apresentação do fundo, o gestor - que também gere o IMGA Ações Portugal - referia à Funds People que ser responsável por este fundo “é um alargamento natural para quem já gere ações portuguesas”. Assim, analisar o mercado ibérico na sua totalidade, refere, “acaba por abrir portas para outros sectores e para empresas de uma dimensão maior”.

A lista continua com mais fundos que investem dentro do espaço da Península Ibérica. Com ganhos de 8,18% surge o produto NB Portugal Ações que é da responsabilidade da Pedro Barata da GNB Gestão de Ativos. O fundo gere mais de 22 milhões de euros, com as cotadas nacionais Altri, Galp Energia e Jerónimo Martins a dominarem os maiores investimentos em carteira. De seguida surge o Invest Ibéria que é da responsabilidade de Paulo Monteiro e José Pedroso da Invest Gestão de Activos. Em março registou uma rendibilidade de 7,95%, com as maiores posições em carteira no final de março a serem as cotadas Millennium BCP, Repsol, Sonae SGPS, Navigator e DIA (Distribuidora Internacional de Alimentacion SA). Este fundo era anteriormente designado por Alves Ribeiro – Médias Empresas Portugal, tendo sido alterada a sua denominação e a sua política de investimento em meados de dezembro passado, incluindo no seu portefólio o mercado acionista espanhol.

Os quinze fundos mais rentáveis no mês de março

Fundo Classe de Ativos Gestora Rendibilidade março (%)
BPI Ibéria Equity BPI Gestão de Activos 10,89
IMGA Ibéria Equities Equity IM Gestão de Ativos 9,11
NB Portugal Ações Equity GNB Gestão de Ativos 8,18
Invest Ibéria Equity Invest Gestão de Activos 7,95
Santander PPA Equity Santander Asset Management 7,81
Santander Acções Portugal Equity Santander Asset Management 7,21
IMGA Ações Portugal Equity IM Gestão de Ativos 7,19
Montepio Capital Equity Montepio Gestão de Activos 7,07
Caixagest PPA Equity Caixagest 6,86
Montepio Euro Financial Services Equity Montepio Gestão de Activos 6,85
Caixagest Acções Portugal Equity Caixagest 6,84
NB Ações Europa Equity GNB Gestão de Ativos 6,65
BPI Portugal Equity BPI Gestão de Activos 6,57
IMGA Eurofinanceiras Equity IM Gestão de Ativos 6,52
Popular Acções Equity Popular Gestão de Activos 6,00

Fonte: Morningstar no final de março de 2017.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido

Próximos eventos