Tags: Pensões |

Os fundos PPR com melhor desempenho desde o início do ano


A poucos meses do final do ano, é tempo de fazermos um ponto de situação relativamente ao desempenho dos fundos de poupança reforma desde o início do ano. Recorrendo a dados da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Património vejamos que produtos (de entidades associadas APFIPP) se destacam, em cada nível de risco, durante os primeiros dez meses do ano.

Nível 2 de risco

Dos cinco fundos que compõem a lista de menor nível de risco, atribuído pela APFIPP, encontramos apenas três produtos cuja rentabilidade foi positiva nos primeiros dez meses do ano.

Assim, o período entre janeiro e outubro parece ter sido positivo para o Santander Poupança Prudente, que obteve ganhos de 1,72%. Este é, assim, o fundo PPR de nível 2 de risco que melhor desempenho obteve. O fundo da responsabilidade da Santander Asset Management gere um património superior a 155 milhões de euros e as três maiores posições em carteira são nomes como BNP Paribas, um futuro sobre Bunds alemãs e uma floating rate note da empresa italiana SNAM, segundo dados da plataforma Morningstar Direct. 

A segunda melhor rentabilidade pertence ao Bankinter PPR Obrigações, que alcançou os 1,17%. Gerido pela Bankinter Gestão de Ativos, este apresenta um volume de ativos sob gestão de 38,77 milhões de euros e uma carteira cuja exposição sectorial privilegia os sectores energético. As suas três maiores posições incluem obrigações soberanas italianas, do Bank of America e EDP.

O terceiro e último produto a obter uma rentabilidade positiva durante o período em análise pertence à BPI Gestão de Activos. O BPI Reforma Segura alcançou ganhos de 0,89% e apresenta um volume de ativos sob gestão de 733,67 milhões de euros. A carteira, por sua vez, apresenta nas três maiores posições dois futuros sobre Bunds alemãs e obrigações soberanas espanholas.

Fundos PPR (nível 2 de risco atribuído pela APFIPP) com rentablidade positiva desde o início do ano 

Captura_de_ecra__2017-11-23__a_s_15

Fonte: APFIPP, 31 de outubro

Nível 3 de risco

Ao contrário do nível de risco anterior, a lista que engloba os fundos PPR de nível 3 de risco, atribuído pela APFIPP, revela que todos os produtos obtiveram rentabilidades positivas nos primeiros dez meses do ano. Vejamos, então, quais os fundos com melhor rentabilidade.

Com uma rentabilidade 6,57%, o PPR 5 Estrelas é o mais rentável do seu conjunto. O produto gerido pela Futuro gere um património de cerca de 124,3 milhões de euros e a sua carteira apresenta uma exposição superior a 18% a ações e superior a 60% a obrigações.

Imediatamente a seguir encontramos um fundo de poupança reforma com garantia de capital, cuja rentabilidade no período em análise foi de 3,93%. Falamos do NB PPR Vintage, um fundo gerido por Ana Luísa Brito e que apresenta uma exposição ao segmento acionista de 13,53% e de 73,23% ao segmento obrigacionista. O seu património sob gestão, por sua vez, ascende a 22,4 milhões de euros.

O terceiro produto mais rentável deste conjunto de fundos é o PPR Garantia de Futuro, que, à semelhança do fundo anterior, apresenta garantia de capital. Da responsabilidade da Futuro, este apresenta uma rentabilidade de 3,08% no período em questão e um volume de ativos sob gestão de cerca de 100,8 milhões de euros. A exposição ao segmento acionista, por sua vez, é de 4,30%, enquanto que a exposição ao segmento obrigacionista de 88,60%.

Fundos PPR (nível 3 de risco atribuído pela APFIPP) com rentablidade acima dos 3% desde o início do ano

Captura_de_ecra__2017-11-23__a_s_15

Fonte: APFIPP, 31 de outubro

Nível 4 de risco

À semelhança do conjunto de produtos de nível 3 de risco, atribuído pela APFIPP, a lista que se segue revela que todos os produtos obtiveram ganhos positivos.

Assim, os dois produtos mais rentáveis deste conjunto são ambos geridos pela Futuro e apresentam uma rentabilidade de 9,34% e de 8,21%, respetivamente. Falamos do PPR BIG Taxa Plus e do PPR Platinium.

O primeiro apresenta um volume de ativos sob gestão que ascende a 40,9 milhões de euros e uma carteira maioritariamente composta por obrigações de taxa fixa. Já a carteira do PPR Platinium apresenta uma exposição de 39,60% ao segmento acionista e de 50,39% ao segmento obrigacionista. Este gere um património de 10,4 milhões de euros.

Com uma rentabilidade de 7,82% surge o BPI Reforma Acções PPR, sendo, assim, o terceiro produto mais rentável no período em análise. Com uma maior preponderância dos sectores financeiro e industrial, a sua carteira apresenta nas três maiores posições títulos do banco inglês HSBC e das empresas francesas Valeo e Atos. O património sob gestão do fundo é de 120,9 milhões de euros.

Fundos PPR (nível 4 de risco atribuído pela APFIPP) com rentablidade acima dos 5% desde o início do ano 

Captura_de_ecra__2017-11-23__a_s_15

Fonte: APFIPP, 31 de outubro

Invest AR PPR é o fundo mais rentável do mercado nacional

A análise elaborada acima foi feita de acordo com a rentabilidade apresentada pelos fundos poupança reforma de entidades associadas da APFIPP. Alargando o espetro de análise, verificamos que o fundo PPR mais rentável pertence à Invest Gestão de Activos. Trata-se do Invest AR PPR, que alcançou uma rentabilidade de 12,79% nos primeiros dez meses do ano (de acordo com os dados disponibilizados pela plataforma Morningstar Direct). 

Empresas

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido