Tags: Negócio |

Os fundos flexíveis que registam captações líquidas positivas no primeiro semestre


A primeira metade do ano não pode ser considerada positiva no que toca às captações líquidas dos fundos de investimento mobiliário. De acordo com os dados disponibilizados pela Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – o mercado registou um valor negativo entre subscrições e resgates de 782 milhões de euros negativos. A mesma tendência foi sentida nos fundos flexíveis, que acumulam um valor negativo de quase 50 milhões de euros no período em questão.

Apesar de, globalmente, o valor ser negativo existem alguns fundos flexíveis que registam saldo positivo nos primeiros seis meses do ano. Nestas condições encontramos uma mão cheia de produtos, geridos por duas casas de investimentos: a BPI Gestão de Activos e ainda a Optimize Investment Partners.

Dos cinco fundos, aquele que se destaca mais é o BPI Moderado da BPI Gestão de Activos. O fundo foi lançado no decorrer do ano passado, e nos primeiros seis meses deste ano atinge captações líquidas superiores a 10,4 milhões de euros. Tem sido um dos fundos em destaque durante o ano no mercado nacional neste aspecto, sendo ainda um Blockbuster Funds People.

Restantes sob gestão da Optimize

Os restantes fundos que completam a lista são todos geridos pela Optimize Investment Partners. Dos quatro produtos, apenas dois superam a barreira de um milhão de euros: o Optimize Selecção Base e ainda o Optimize Selecção Agressiva. Estes dois fundos foram lançados no último trimestre do ano passado e em 2016 já registam um montante total superior a 8 milhões de euros. Dos dois fundos aquele que lidera e o Optimize Selecção Base com um valor entre subscrições e resgates de quase 7 milhões de euros. Já o segundo – Optimize Selecção Agressiva – supera os 1,5 milhões de euros.

Os fundos flexíveis com captações líquidas positivas em 2016

Flexiveis_1S_2016

Fonte: APFIPP

Empresas

Notícias relacionadas