Tags: Pensões |

Os fundos de pensões abertos que brilham nos últimos doze meses


A esmagadora maioria dos fundos de investimento devem ser vistos numa ótica de longo prazo. Nesta análise objetiva entram os fundos de pensões, que são completamente orientados para a reforma. Ainda assim, apesar de serem produtos a muito longo prazo, um acompanhamento regulador pode fazer a diferença.

Uma dos prazos mais “normais” para seguir os fundos de pensões abertos, é segui-lo nas rendibilidades de doze meses. Neste particular, a Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios – APFIPP – publica mensalmente as rendibilidades dos fundos de pensões abertos para os doze meses anteriores. Nesta lista, a Associação publica os resultados brutos de impostos, não sendo consideradas as comissões de subscrição e resgate. Além disso, também não consideram “outras comissões e encargos eventualmente suportados directamente pelos participantes, que variam de acordo com as condições estabelecidas no regulamento de gestão de cada Fundo”.

De todos os fundos de pensões abertos, cuja sua sociedade gestora é parte integrante da APFIPP, aquele que melhor registo apresenta nos últimos doze meses é o SGF Square Acções que faz parte da responsabilidade da SGF - Sociedade Gestora de Fundos de Pensões. De acordo com a Associação, nos doze meses anteriores ao final do mês passado, regista uma rendibilidade de 4,6% com o seu património sob gestão a situar-se em 2,1 milhões de euros, com cerca de metade desse valor a estar aplicado em fundos harmonizados de entidades gestoras internacionais. De acordo com o prospeto, o fundo “destina-se a investidores que pretendam captar algum potencial de longo prazo do segmento acionista”.

Fundos com garantia de capital na lista

Logo depois surgem dois produtos que têm a característica de serem fundos com garantia de capital. Com uma rendibilidade de 4% vem o Protecção 2020 que é gerido pela BBVA Fundos. O seu património supera os 23 milhões de euros com cerca de 90% da carteira a estar aplicada em dívida pública espanhola.

Com uma valorização de 3,9% vem o fundo Multireforma Capital Garantido que é da responsabilidade da GNB Gestão de Ativos. Trata-se do maior fundo entre os cinco com melhores resultados nos últimos doze meses, com um património de 54 milhões de euros. Sob alçada de Pedro Barata, o fundo investe mais de 90% do seu património em obrigações.

Fundos com património mais reduzido na lista

A lista é completa com dois fundos que gerem cerca de um milhão de euros. Com uma rendibilidade de 3,6% e 1,2 milhões de euros em património vem o Optimize Capital Pensões Acções que é gerido pela Banif Pensões. Já com quase um milhão de euros e ganhos de 3,4% vem o produto Futuro XXI que é da responsabilidade da Futuro.

Empresas

Próximos eventos