Tags: Negócio |

Os efeitos dos ataques em Bruxelas nos mercados


Mais um atentado bombista aconteceu na Europa, desta vez em Bruxelas, causando a morte a pelo menos 30 pessoas e mais de 230 feridos, num atentado reivindicado pelo Daesh e que coloca outra vez a segurança do espaço Europeu na ordem do dia.

Depois de uma reação natural de fuga de ativos de risco, o mercado foi assimilando as informações que iam sendo transmitidas pelos órgãos de informação e a normalidade foi-se instalando.

De destacar a descida da Libra Esterlina, que depois de ver publicada a estatística sobre inflação que saiu nos 0.2%, abaixo dos 0.4% esperados, se viu afectada pelo aumento das possibilidades de um Brexit devido ao sucedido em Bruxelas.

O Reino Unido irá referendar a permanência na União Europeia dentro de 3 meses e se a preocupação com a emigração e a segurança eram os principais pilares para defender o Brexit, os atentados de ontem em Bruxelas vieram reforçar os argumentos dos defensores do Brexit.

A Libra Esterlina perdeu terreno face ao Euro e ao Dólar, refletindo o estado de espírito dos investidores e com isso em mente, o Banco de Inglaterra já informou que estará disponível para injetar dinheiro no sistema de modo a reforçar a liquidez do sistema em caso de vitória do Brexit.

O factor mais importante para a evolução do Euro face ao Dólar foram inevitavelmente os atentados em Bruxelas, mas a pouca liquidez, reflexo da época Pascal, não deverá trazer grandes mudanças ao cenário atual de pressão vendedora sobre o Euro.

O índice Zew Alemão não foi de encontro ao esperado pelos analistas. Apesar de uma ligeira recuperação a situação económica atual é vista de uma forma menos favorável, com a volatilidade dos preços do petróleo, a subida do Euro e a desaceleração chinesa a juntarem-se ás medidas avançadas pelo BCE e que não trouxeram tranquilidade ao mercado.

A economia Alemã é um caso à parte no panorama Europeu, pois conta com a recuperação da procura interna que retira relevo ao que se passa fora da Alemanha.

(imagem: Hernán Piñera, Flickr, Creative Commons)

O Mais Lido