Tags: Negócio |

Os dois primeiros meses do ano nas áreas de venture capital e private equity


Desde o início do ano de 2019 que os números para as áreas de venture capital e private equity não são os mais favoráveis. Segundo o que revela agora a TTR (Transactional Track Record), na área de venture capital muito embora o número de operações tenha crescido face ao período homólogo – 67% - para 10 operações, o valor agregado decresceu, no caso 6,9% para os 24 milhões de euros. Os dados da TTR indicam que sete destas operações foram anunciadas em fevereiro, representativas de 21,3 milhões de euros. O destaque neste âmbito vai para a Portugal Ventures, que esteve presente em três dessas rondas de financiamento, referem, tendo adquirido participações nas startups Shiptmize, Logical Safety e Advertio, que irão receber 500 mil euros cada.

No âmbito do private equity as operações registaram uma queda de 84% nos dois primeiros meses do ano, comparativamente com o período homólogo.

Captura_de_ecra__2019-03-12__a_s_14

Captura_de_ecra__2019-03-12__a_s_14

No que diz respeito ao mercado de M&A a toada foi a mesma. Ora nos primeiros dois meses do ano, os anúncios de compra e venda de participação que envolveram empresas portuguesas movimentaram 683 milhões de euros, o que representa uma queda de 53,36% face ao mesmo intervalo do ano anterior. A TTR dá conta de 48 operações anunciadas entre janeiro e fevereiro, o que, segundo indicam, é representativo de uma queda de 12,7% comparativamente com o mesmo intervalo de 2018. O sector mais ativo no período foi o de imobiliário, com 12 transações reportadas, seguindo-se o segmento de tecnologia, com nove operações. O sector de financeiro e seguros e Internet, com quatro deals cada, aparecem empatados na sequência.

Nas operações cross-border inbound poucas novidades: os espanhóis continuam a ser os mais ativos no mercado nacional. Desde janeiro que se contabilizam 10 operações por parte de empresas espanholas, que, em conjunto, representam 212 milhões de euro. Destas, seis foram aquisições no segmento Imobiliário. Destaque também para os investimentos provenientes do Reino Unido, que, em três operações, injetaram 171 milhões em empresas portuguesas.

Na situação inversa, as empresas portuguesas realizaram cinco aquisições no mercado externo. Assinale-se a entrada da Sonae IM no capital da ViSenze, empresa de Singapura da área da inteligência artificial, que angariou 17,69 milhões de euros numa ronda de financiamento série C.  

UBS adquire Gascan Portugal

Na transação em destaque no mês de fevereiro a TTR assinala a venda da Gascan Portugal, via Energyco II, pelo private equity espanhol Artá Capital à UBS Asset Management Funds, uma operação que se cifrou em 118 milhões de euros. A assessoria jurídica ao fundo espanhol ficou  a cargo da Cuatrecasas, enquanto o Haitong Bank Portugal prestou ao mesmo serviços de consultoria. Por sua vez, a UBS Asset Management Funds contou com a assessoria do escritório CMS Rui Pena & Arnaut.

Empresas

Notícias relacionadas