Tags: Multiativos |

Os cinco fundos allocation em destaque no último ano


Depois de termos visto que produtos se destacaram no último ano no conjunto de todas as categorias, olhemos agora para a rentabilidade registada pelos produtos de uma categoria em específico, a categoria allocation. De acordo com os dados disponíveis na plataforma Morningstar Direct, os cinco produtos que melhor rentabilidade alcançaram dividem-se em três subcategorias, sendo que as subcategorias cautious allocation e moderate allocation surgem ambas com dois produtos, e a de agressive allocation com apenas um.

A melhor rentabilidade pertence a um dos produtos da subcategoria cautious allocation, o NB PPR. O fundo gerido por Paulo Joaquim alcançou uma rentabilidade de 8,65% no período em questão, sendo que a sua última carteira disponível revelava que entre as principais posições estavam um futuro sobre os títulos soberanos franceses, títulos soberanos irlandeses, bilhetes do tesouro português e um futuro sobre o Euro Stoxx 50. Atualmente, o fundo gere um património de cerca de 15,67 milhões de euros.

Imediatamente a seguir encontramos um fundo de fundos da responsabilidade da BPI Gestão de Activos, o BPI Universal. Com uma carteira composta por fundos como o Pictet Emerging Markets Index IS USD, o Vanguard Emerg Mkts Stk Idx Inv USD Acc ou o BGF Emerging Markets D2, a sua rentabilidade no período em questão fixou-se nos 7,59%. A sua exposição ao segmento acionista atualmente é de 70% e o seu volume sob gestão ascende a 11,65 milhões de euros.

O terceiro produto mais rentável desta categoria no último ano é também um fundo de poupança reforma, sendo da responsabilidade da Invest Gestão de Activos. Gerido por Paulo Monteiro, este apresenta uma rentabilidade de 5,92% no período em análise, e um volume de ativos sob gestão superior a 30 milhões de euros. No que respeita à composição da sua carteira, os sectores financeiro e de consumo defensivo são os mais preponderantes (exposição de 18,16% e 15,22%, respetivamente), sendo que nas três maiores posições em carteira encontramos dois ETF – um que procura replicar o comportamento do Euro Stoxx 50 e outro que procura replicar o comportamento do STOXX Europe 50 – e obrigações soberanas nacionais.

Os produtos que se seguem são ambos geridos pela Popular Gestão de Activos, sendo ambos fundos de fundos. Falamos do Popular Global 75 e do Popular Global 50, cujos ganhos ascenderam a 4,98% e 3,41%, respetivamente. Por outro lado, enquanto que o volume de ativos sob gestão do primeiro ascende a 22,28 milhões de euros, o segundo gere um património de 44,93 milhões de euros. A composição da carteira apresenta semelhanças tanto em termos de exposição geográfica como de exposição sectorial – as regiões mais preponderantes em carteira são os Estados Unidos e a zona euro, sendo o sector tecnológico e financeiro aqueles que maior exposição apresentam.

Rentabilidade/risco: NB PRR novamente em destaque

Fazendo uma análise ao desvio padrão registado por estes produtos durante o período em questão, verificamos que o NB PPR é aquele que menor valor apresenta. Assim, para alcançar uma rentabilidade de 8,65%, este produto registou um desvio padrão de apenas 3,37%. BPI Universal, por seu turno, que alcançou uma rentabilidade de 7,54%, apresenta um desvio padrão superior ao fundo da GNB Gestão de Ativos: 6,23%.

Já o fundo gerido por Paulo Monteiro apresenta um desvio padrão mais baixo, de apenas 3,55%, embora tenha também alcançado uma rentabilidade menor que ambos os produtos anteriores. Quanto aos produtos da responsabilidade da Popular Gestão de Activos, enquanto que o Popular Global 75 registou um desvio padrão de 6,61%, o Popular Global 50 apresenta um desvio padrão de 4,85%.

Fundos allocation com rentabilidade superior a 2% nos últimos 12 meses

Captura_de_ecra__2018-04-06__a_s_12

Fonte: Morningstar Direct, março de 2018

Profissionais
Produtos
Empresas

Notícias relacionadas

Próximos eventos