Ordens sobre instrumentos financeiros mantêm crescimento no mês de março


De acordo com dados disponibilizados pela CMVM, no mês de março o valor das ordens sobre investimentos financeiros recebidas pelos intermediários ascenderam a  a 10.756,9 milhões de euros, um aumento de 20,9% relativamente a fevereiro. O primeiro trimestre de 2017 regista assim, um crescimento de 43,3% face ao período homólogo de 2016.

As ordens relativas a instrumentos financeiros de dívida privada registaram o maior crescimento, com um aumento de 39% para os 3 648,8 milhões de euros. Por outro lado, na dívida pública o aumento foi de 9% para 4 052 milhões de euros. Já do lado das ações o aumento foi de 4% para os 2 127 milhões de euros.

No mês de março as gestoras de ativos residentes registaram um crescimento de 2,8% face a fevereiro relativamente a ordens executadas, tendo a atividade sido mais expressiva no âmbito das ações. Contudo, seguros e ‘não institucional’ foram os investidores com maior atividade neste tipo de ativo, segundo o que relata o Regulador. Entre os não residentes, o segmento cujo volume de ordens foi maior foi o de dívida pública.

No primeiro trimestre do ano vemos que os investidores não institucionais lideram nas transações em ações, enquanto que os investidores institucionais lideram nos instrumentos de dívida.

T4

No que diz respeito aos principais destinos das ordens executadas sobre ações fora de Portugal, destacam-se Espanha, Estados Unidos e França. Por outro lado, do lado das ordens executadas sobre títulos de dívida, os principais destinos foram Alemanha, Luxemburgo e Estados Unidos.

T6

T7

O valor das ordens sobre instrumentos financeiros derivados registou um crescimento de 121,6% para 10 858 milhões de euros, enquanto que o número de contratos negociados aumentou 0.6%.

futuros

CFD_S

outros_derivados

O relatório completo pode ser consultado aqui

Notícias relacionadas

O Mais Lido

Próximos eventos