Tags: Negócio |

Once


Premiado por 17 vezes e nomeado para outros 21 prémios – ganhou o prémio do público no Festival de Sundance em 2007 e o Oscar para a melhor música original escrita para cinema em 2008 com “Falling Slowly” – Once é, na verdade, uma história de amor contada em forma de um “quase” musical.

Se o que me trás aqui é naturalmente a música, não é possível falar da música deste filme sem fazer referência à extraordinariamente simples e, no entanto, absolutamente comovente, história por detrás da música.

O filme fala-nos do encontro casual, mas nada menos do que arrebatador, de um cantor de rua Irlandês com uma emigrante checa, também ela cantora e música mas que ganha a vida a vender flores nas ruas de Dublin. De tão simples que é, não posso avançar aqui com mais detalhes da história sob pena de prejudicar a experiência de quem logo à noite seguir o meu conselho e se sentar de ouvidos e coração bem abertos a deliciar-se com Once.

Posso, no entanto, comentar aqui o invulgar ambiente de cumplicidade que se vai sentindo crescer no filme, ao qual não será certamente estranho o facto de os dois actores principais serem ambos, de facto, os autores e intérpretes de todas as músicas que podemos ouvir em Once (apenas uma é na verdade de outros autores).

Glen Hansard e Markéta Irglová são os protagonistas do filme e os autores e intérpretes da recomendação musical que aqui trago. As músicas de Glen e Markéta podem ser ouvidas na banda sonora original do filme e também no disco que lhe está na base o “The Swell Season”.

Mas para aqueles que gostam de se comover com a música ainda mais quando ela é acompanhada de imagens, e de uma história, que tocam no coração recomendo vivamente que vejam primeiro o filme.
 
A tradução do título para português, “no mesmo tom”, é neste caso bastante conseguida porque é de facto de empatias, musicais e não só, simples e subtis como se desejam sejam todas, que vive este hino à simplicidade, à honestidade e ao amor.

Próximos eventos