Ocidental Pensões mantém-se como gestora com a maior quota de mercado


O primeiro trimestre de 2017 ficou marcado por um crescimento de 2,3% no volume sob gestão do segmento de Fundos de Pensões. Segundo o mais recente relatório da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios (APFIPP), no final de março “o património dos Fundos de Pensões ascendia a 18 390,4 milhões de euros”. A 31 de março, existia um total de 201 fundos de pensões.

Ocidental Pensões detém quase 30% da quota de mercado

Relativamente ao panorama das sociedade gestoras, o primeiro lugar continua entregue à Ocidental Pensões. Com um volume de ativos sob gestão superior a cinco milhões de euros, a entidade detém 28% da quota de mercado, destacando-se, assim, das suas concorrentes. No primeiro trimestre registou um crescimento de 1%, sendo que nos últimos 12 meses o crescimento é de 3,5%.

O segundo lugar é ocupado pela entidade que, segundo o relatório da APFIPP, registou o maior crescimento absoluto. Falamos da CGD Pensões, que embora apresente uma quota de mercado de 19,6%, registou um crescimento superior à entidade que ocupa o primeiro lugar, tanto no primeiro trimestre de 2017, como nos últimos 12 meses. A percentagem de crescimento é de 8% se analisarmos o último ano.

Curiosamente, em terceiro e quarto lugar, respetivamente, surgem duas entidades com as maiores variações trimestrais. Tanto a BPI Vida Pensões, como a GNB-SGFP apresentam um crescimento de 5,7% no último trimestre. Por outro lado, o volume sob gestão de ambas as entidades é distinto, embora próximo. A BPI Vida Pensões gere um volume de ativos de 2 555 milhões de euros, sendo que a GNB-SGFP detém um volume de ativos sob gestão de 2 037 milhões de euros.  No que diz respeito à quota de mercado, a primeira detém 13,9% e a segunda 11,1%.

Contudo, importa destacar que no período mais longo, ou seja, nos últimos 12 meses, a variação da quota de mercado é bastante diferente. Com um crescimento de 8% no último ano surge a BPI Vida Pensões, sendo que do lado da GNB-SGFP é de apenas 0,6%.

Por fim, surge uma das entidades que registou uma variação trimestral negativa. Com -3,5%, a S.G.F.P Banco de Portugal ocupa a quinta posição, sendo que detém uma quota de mercado de 9,7%. Por outro lado, a Futuro, entidade que ocupa o sexto lugar, registou um crescimento de apenas 0,9% no último trimestre, mas o mais alto dos últimos 12 meses: 8,6%. Com um volume de ativos sob gestão superior a 1 400 milhões euros, detém 8,1% de quota de mercado.

Fotografia das sociedades de gestoras de pensões

Captura_de_ecra__2017-05-19__a_s_13

Nota: dados APFIPP, março de 2017

Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido