Tags: Obrigações |

Obrigações europeias em destaque nos fundos fixed income no mês de abril


Apesar de termos dado conta que os fundos com maiores rentabilidades no mês de abril foram, em grande parte, fundos de ações, é agora altura de compreender o panorama dos fundos classificados como fixed income pela Morningstar.

Num mês marcado pela primeira-volta das eleições francesas, o fundo com melhor desempenho foi, precisamente, um fundo de obrigações europeias. Com uma rentabilidade de 1,14%, o fundo de obrigações europeias da GNB Gestão de Ativos surge como o fundo em destaque no mês em questão. Curiosamente, no mês passado e segundo dados da Morningstar, a França não surgia no top 10 das maiores posições do fundo gerido por Vasco Teles.

Em segundo lugar surge o fundo BPI Obrigações Mundiais, que apresentou um rentabilidade de 0,97% no mês de abril. O fundo gerido por Nuno Pereira apresentava, segundo a ficha de produto do mês passado, a França como o país com maior percentagem de alocação, com pouco mais de 9%.

Com uma rentabilidade de 0,71% surge o terceiro fundo com melhor desempenho no mês de abril, o NB Rendimento Plus. O fundo gerido pela GNB Gestão de Ativos evidenciava, segundo dados da gestora, uma exposição de 7,13% a liquidez e, ainda, de 1,88% ao segmento de ações no final do primeiro trimestre de 2017. Em termos de segmentos de mercado a distribuição é variada, uma vez que, segundo a mesma fonte, no final do primeiro trimestre deste ano os segmentos de obrigações soberanas e de entidades financeiras estavam em destaque, com 35,16% e 12,71% da carteira, respetivamente.

Destaque, ainda, para o fundo gerido pela Caixagest que registou uma rentabilidade bastante próxima do fundo anterior. Assim, com 0,67% de rentabilidade surge o Caixagest Oportunidades. Ao contrário dos fundos já mencionados, este fundo apresentava, no final do mês passado, maior ponderação de obrigações corporativas, em especial de empresas portuguesas, já que a REN e a Galp Energia eram as duas maiores posições do fundo, com 13,05% e 11,06%, respetivamente (segundo dados da Morningstar).

Captura_de_ecra__2017-05-5__a_s_16

Nota: dados Morningstar a 30 de abril de 2017

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido

Próximos eventos