Tags: Obrigações | Ações |

Obrigações convertíveis: "A sua natureza híbrida faz com que possa ser apelativa tanto para investidores em ações como em obrigações"


A natureza híbrida das convertíveis faz com que esta classe de ativos possa ser apelativa tanto para investidores em ações como em obrigações. Os investidores com preferência por ações poderão tirar partido da valorização do mercado acionista, mas com menor risco. Para investidores mais defensivos, as obrigações convertíveis representam um potencial de rendibilidade acrescido face às obrigações tradicionais, uma vez que poderão obter uma participação na valorização das ações subjacentes. Ainda que a taxa de juro das obrigações convertíveis seja inferior à das obrigações tradicionais.

Além disso, as obrigações convertíveis poderão ser vistas como um ativo de diversificação da carteira de investimentos, porque contêm uma componente de obrigação (risco de crédito e pagamento de cupão fixo), uma componente de ação (participação no capital próprio) e uma componente de volatilidade (através de uma opção de compra incorporada). Essas três classes de ativos são descorrelacionadas, oferecendo uma interessante oportunidade de diversificação.

A seleção das melhores oportunidades no mercado de obrigações convertíveis não é tão imediata como no mercado acionista. Com efeito, o preço das obrigações convertíveis depende de uma multiplicidade de fatores, que devem ser tidos em consideração.

O fator mais importante é a medida em que o preço das obrigações convertíveis responde à variação do preço das ações subjacentes. Esta medida é designada por Delta.

Por norma, o Delta não deverá ser demasiado baixo (inferior a 20%), porque as obrigações convertíveis tenderão a ter um comportamento idêntico ao das obrigações tradicionais, nem demasiado alto (acima de 80%), porque os títulos tenderão a ter um comportamento idêntico a ações. Desejavelmente, o Delta médio de uma carteira deverá ser próximo de 50%.

Para além do risco mais explícito, que é o de desvalorização das ações subjacentes, as obrigações convertíveis apresentam riscos de liquidez, taxa de juro e crédito.

A liquidez do mercado de obrigações convertíveis, ou seja, a facilidade com que as mesmas podem ser negociadas em mercado, pode estar sujeita a períodos de ausência de compradores, o que pode ter um impacto negativo nos preços.

Por outro lado, a eventual subida de taxas de juro também tenderá a ter um impacto negativo, diretamente proporcional à duração da carteira (sensibilidade do preço à variação de taxas de juro).

Finalmente, é muito importante avaliar corretamente a qualidade de crédito dos emitentes, dado que um elevado nível de incumprimento irá colocar em causa as qualidades defensivas deste instrumento.

Profissionais
Empresas

Notícias relacionadas

O Mais Lido