O regulador europeu vai atualizar os parâmetros de risco nos testes de stress dos fundos monetários devido à COVID-19


A Autoridade Europeia de Valores e Mercados (ESMA, sigla em inglês) confirmou que vai atualizar os guias para os testes de stress para a regulação dos fundos monetários (MMFR) com o objetivo de que os parâmetros de risco reflitam os recentes desenvolvimentos no mercado relacionados com a crise da COVID-19. Vai tratar-se de uma atualização do guia publicado em 2019.

Segundo explica o regulador, valorizam se os cenários apresentados no guia de 2019 vão continuar a ser apropriados e vão determinar o que aplicar aos cenários de 2019 no contexto de mercado atual, em linhas gerais, levará a níveis de stress semelhante aos observados em março de 2020.

Não obstante, no caso de alguns parâmetros, esses cenários de 2019 viram-se excedidos pelos movimentos que se viram na crise da COVID-19. Assim, determinaram que os fatores relevantes serão atualizados em conformidade.

Não é uma mudança incomum já que os parâmetros do MMFR são atualizados todos os anos com base nos movimentos mais recentes dos mercados. Enquanto se espera por uma data para a atualização de 2020, todas as secções dos guias de 2019 continuam vigentes, incluindo os cenários de calibre atuais assim como os testes de stress internos que devem levar a cabo os gestores de monetários.

A ESMA vai calibrar os parâmetros de risco com o Comité Europeu de Risco Sistémico (JERS) e o Banco Central Europeu (BCE), e espera publicar a atualização de 2020 das diretrizes no quarto trimestre de 2020. Em seguida, as diretrizes atualizadas serão traduzidas e as mudanças aplicadas dois meses após a publicação das traduções.

Notícias relacionadas

Anterior 1 2 Siguiente

O Mais Lido