Tags: Negócio |

O panorama das estrelas Morningstar nos fundos nacionais


A atribuição das estrelas Morningstar a um fundo de investimento acaba por ser um critério de avaliação de um produto de uma forma quantitativa. O rating elaborado pela empresa de análise baseia-se unicamente em cálculos de rentabilidade e risco passados, cálculos esses que são elaborados a cada mês, e que se baseiam nos dados mensais de pelo menos os últimos três anos; contas feitas, o resultado traduzir-se-á num determinado número de estrelas.

No mercado português, dos 113 fundos nacionais contemplados com alguma estrela Morningstar (dados da Morningstar Direct de final de agosto de 2018) 46 têm 2 estrelas atribuídas pela empresa de análise, o que acaba por configurar uma percentagem de 40,71% do total de fundos com este ranking, ou seja, a classificação que mais fundos agrega. No ponto exatamente oposto, e dada a “exigência” de resultados para esta menção, os fundos com cinco estrelas são a amostra mais diminuta: apenas 8 fundos – ou seja pouco mais de 7% do total – conseguem a classificação máxima atribuída pela empresa de análise. As restantes classificações – 1 estrela, 3 estrelas, e 4 estrelas – agregam respetivamente 16, 30 e 13 fundos.

 

fundos com estrelas final de agosto

Fonte: Morningstar Direct, 31 de agosto 

E no final do ano passado?

Pouco ou nada muda em retrospetiva, quando considerado o final do ano passado. Melhor dizendo: a amostra de fundos com alguma estrela atribuída pela Morningstar era mais pequena em comparação com a atual – 110 fundos – mas apenas por via dos fundos com uma estrela. No termino do ano passado eram 13 os fundos com 1 estrela atribuída, enquanto que as restantes classificações se mantinham exatamente com o mesmo número de produtos face aos últimos dados de agosto.

fundos com estrela Morningstar dezembro

Fonte: Morningstar Direct, 31 de dezembro de 2017

Notícias relacionadas

O Mais Lido